Plantão Policial

Menino com câncer raro consegue arrecadar R$ 2 mi para tratamento nos EUA

 


A meta inicial para que o menino Jean Lucas Paes Leme Jubé, de apenas 9 anos, possa iniciar a terapia CAR-T Cell nos EUA foi alcançada na tarde de hoje. Os R$ 2 milhões necessários para que esta primeira etapa rumo à cura do câncer raro e agressivo contra o qual ele luta há seis meses

Em entrevista ao UOL, o pai de Jean, Silvio Eurico Paes Lemes Junior, afirmou que a arrecadação trouxe nova energia para o menino e para a família e renovou a fé deles em Deus e na humanidade.

Em março, Jean descobriu ser portador de um tipo de câncer agressivo e raro, chamado  de Burkitt. A doença compromete as funções de seu intestino, baço e bexiga. Apesar de ter realizado várias sessões de quimioterapia e outros tratamentos, a doença não regrediu.

Os prognósticos eram de que ele teria apenas 30 dias de vida, caso não conseguisse iniciar um tratamento tão revolucionário quanto dispendioso: a terapia CAR-T Cell, nos EUA. O tratamento consiste em retirar, isolar e modificar geneticamente os linfócitos T para poderem identificar células do câncer. Em seguida, eles são colocados de volta no organismo do paciente, com força suficiente para eliminar as célRulas cancerígenas.


"Conseguimos juntar os R$ 2 milhões que ele precisa para iniciar o tratamento em apenas uma semana de campanha. Isso é muito especial", afirma o pai de Jean. "Ele ficou muito feliz, apesar de ainda não ter noção completa do que está acontecendo. Ele é uma criança, então ele quer saber se poderá voltar a brincar".

Silvio conta que Dayanne, sua esposa, também está muito feliz com a conquista. "Ao mesmo tempo, ela está muito assustada com a repercussão de tudo isso. Mas ela é uma guerreira e, simultaneamente, um anjo na vida dele. Jean é grudado nela. E ela passa muita força para ele e diz que vai terminar tudo bem".

O pai do menino, que trabalha com venda e instalação de digitais, disse que teve que abandonar a carteira de clientes que mantinha em Goiânia (GO), cidade onde mora a família, para se mudar para Barretos, no interior de São Paulo, onde Jean está internado em um hospital de referência oncológica há seis meses.

"Me senti renovado com essa boa notícia. Depois de uma semana de angústia e choros escondidos, agora estou com a energia renovada para darmos início a esse tratamento", afirmou Silvio, que na tarde de hoje iniciou o processo para retirada dos vistos e documentos necessários para a viagem aos EUA. Os passaportes também foram retirados hoje, na Polícia Federal.

A família ainda não sabe quando partirá para os EUA, pois dependerá do grupo de médicos que está atendendo o Jean. Será preciso definir ainda o local para onde ele será encaminhado e qual equipe nos EUA irá atender a criança.

Jean Lucas continua com as plaquetas baixas e no momento está passando por procedimentos para se restabelecer. Na próxima quarta-feira, outro procedimento será feito no hospital em Barretos. Uma tomografia muito importante para definição sobre o estágio e situação do tumor.

"Acredito que esta semana conseguiremos definir nossos próximos passos. Esse tratamento nos EUA pode durar de 1 a 5 anos. Vai depender muito da resposta do organismo do Jean. Então vamos continuar com o trabalho de arrecadação de recursos", comentou Sílvio. 

Fonte: noticias.uol.com.br