Plantão Policial

Streptococcus A: O que se sabe sobre a bactéria que já matou nove crianças


A maioria das vítimas fatais tinha menos de 10 anos, exceto por uma de 12.

Nesta terça-feira (6), o Reino Unido confirmou a morte da nona criança com infecção pela bactéria streptococcus A, desde setembro, segundo a BBC. 

A taxa da infecção invasiva por streptus do grupo A (iGAS) deste ano no país é maior do que a média, no mesmo período, em anos anteriores, e, por isso, tem assustado as famílias e as escolas. 

Uma das últimas crianças com morte confirmada por infecção relacionada à bactéria foi uma menina de 5 anos, de Belfast, na Irlanda do Norte.

Stella-Lily McCorkindale foi hospitalizada na última semana e faleceu na segunda-feira (5).

De acordo com o Daily Mail, outros alunos da escola de Stella estão recebendo tratamento com antibióticos, para prevenir desfechos trágicos, como o da garotinha.

Nick Gibb, Ministro das Instituições de Educação britânico disse que o uso de antibióticos “é uma opção”, quando o assunto foi debatido na Câmara dos Lordes, no início da semana.

As autoridades de saúde têm trabalhado em conjunto com as escolas

A forma invasiva e fatal de infecção pela bactéria tirou a vida de oito crianças menores de 10 anos e uma de 12 anos, desde setembro. 

Mas o que se sabe até agora sobre o assunto? Reunimos aqui as principais informações, divulgadas por autoridades e especialistas britânicos. Confira:

O que é streptus A?

Streptus A é uma bactéria conhecida como estreptococo do grupo A ou Streptococcus pyogenes, muito comum em humanos, no mundo inteiro.

Muitas pessoas têm a bactéria, mas não desenvolvem nenhum sintoma. Outras desenvolvem infecção por streptus na garganta ou na pele.

A bactéria também está relacionada à escarlatina, doença infecciosa que causa febre e erupções vermelhas na pele. Mais raramente, pode causar a chamada infecção invasiva por streptus do grupo A, conhecida como iGAS, o problema responsável pela morte das nove crianças, até o momento, no Reino Unido. 

Os primeiros sintomas da doença são febre, dor de cabeça e dores musculares, que podem ser confundidos com os sintomas de diversas outras infecções virais comuns.

 Por isso, em geral, o início do tratamento com antibióticos é adiado, já que, no caso de infecções virais, eles não são úteis e podem até ser prejudiciais.

As prescrições desnecessárias desse tipo de medicamento pode aumentar a resistência de bactérias aos tratamentos, podendo levar até ao desenvolvimento das temidas superbactérias. 

O dilema é que, nesses casos severos de infecção por streptus A, a rápida administração de antibióticos é o que pode salvar a vida dos pacientes.

Como a streptococcus A é transmitida?

A bactéria está presente na saliva e no muco nasal. 

Pode ser transmitida por gotículas ao espirrar, tossir e falar ou ao compartilhar objetos como copos e talheres, com uma pessoa infectada.

As medidas de prevenção são as mesmas que já conhecemos e ampliamos, por conta da pandemia de covid-19: evitar compartilhar objetos de uso pessoal, usar máscaras, higienizar as mãos e as superfícies e manter o distanciamento social.

strepto A?

A versão grave e invasiva da infecção por strepto A, geralmente, atinge com mais frequência os idosos acima de 75 anos. 

No entanto, no possível surto atual do Reino Unido, até o momento, não foi notificada nenhuma morte de pessoa idosa pelo problema. Apenas crianças. Ainda não se sabe a razão.

Por que o número de mortes de crianças aumentou neste ano no Reino Unido?

Ainda não há uma resposta para essa pergunta, mas alguns especialistas acreditam que a taxa aumentou, depois de ter diminuído muito nos últimos dois anos, por conta das medidas de prevenção à covid-19. 

Assim, muitas crianças que não foram infectadas com streptus A em 2020 e em 2021 estão sendo infectadas agora, com o relaxamento das medidas.

Neste ano, na Inglaterra, as taxas de infecção invasiva de strepto A ficaram em 2,3 a cada 100 mil crianças de 1 a 4 anos. De 2017 a 2019, era 0,5.

Os especialistas também ainda não sabem porque as mortes infantis têm sido notificadas no Reino Unido.

Aparentemente, não há registros de mortes maiores do que o esperado entre crianças por infecção invasiva por streptus A em outros países.

No entanto, estima-se que a doença mate cerca de 150 mil pessoas por ano, em todo o mundo.

As informações são da New Scientist, do Daily Mail e da BBC.