Plantão Policial

Professora é encontrada amarrada e morta em córrego; Vídeo

Polícia investiga circunstâncias do crime. Vítima se encontraria com familiares em Campinas

Uma professora de 26 anos foi encontrada morta, com os pés e as mãos amarrados, em um córrego na zona leste de São Paulo (SP).

Ellida Tuane Santos teve um filho há apenas seis meses. 

As primeiras pistas do crime já foram investigadas pela polícia. A professora desapareceu no último sábado (5.nov). Segundo o marido, a jovem foi até uma rodoviária e tinha como destino Campinas, no interior paulista, onde passaria alguns dias na casa da mãe e da irmã. No terminal, se encontraria com o marido e o filho.  

De acordo com a versão do homem, Ellida ligou dizendo que estava chegando na rodoviária e que o celular estava com pouca bateria, tendo a possibilidade e ficar incomunicável. Depois, nenhum contato fo feito. 

Ainda segundo o marido, ele ligou para a sogra e a cunhada. As mulheres afirmaram que a professora ainda não tinha chegado em Campinas. O homem registrou um boletim de ocorrência, procurou hospitais, e se encontrou com a mãe. 

A polícia deu início às investigações e 24 horas depois o corpo foi encontrado, enrolado em um plástico e com o rosto desfigurado.  

O marido, ao ser chamado novamente pela polícia, desapareceu em uma das diligências. Os agentes tentaram descobrir o paradeiro do homem que, agora, está na condição de investigado. Ainda na manhã de 4ª feira (9.nov), ele se apresentou no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da capital paulista com um advogado, onde é ouvido sobre o caso.