Plantão Policial

Idoso morre após ficar com a mão presa e ser arrastado por vagão de metrô

A Polícia Civil do Rio abriu um inquérito para investigar as circunstâncias da morte de um idoso que teria ficado com a mão presa e sido arrastado por um vagão de metrô, na estação Uruguaiana, no Centro do Rio. O militar aposentado José Alves Simão, de 82 anos, embarcava na composição no momento em que as portas já se fechavam, por volta de 13h do último sábado, dia 22, quando ocorreu o acidente. Ele sofreu traumatismo de tórax e abdômen, além de hemorragia interna, e não resistiu aos ferimentos.

De acordo com um dos cinco filhos da vítima, o engenheiro Newton Brito Simão, de 50 anos, o idoso havia ido consertar um aparelho celular, no Centro, e retornava para almoçar com a família, no Flamengo, na Zona Sul da cidade. Os dois combinaram de assistir juntos a partida entre Vasco e Criciúma, às 16h30, em um restaurante.


— Meu pai saiu de casa por volta de 11h, quando nos falamos pela última vez. Fui levar a minha mãe para caminhar no Aterro do Flamengo e ele entrou no metrô com destino a Uruguaiana, onde saltaria. Por volta de 13h, 14h, comecei a ligar para o telefone dele e não consegui contato. Só depois das 16h, um policial me atendeu e pediu que eu comparecesse à delegacia, sem dar detalhes. Chegando lá, me entregaram os pertences dele e disseram que ele sofreu um acidente.

 o delegado Vinícius Ferreira Domingos, titular da 4ª DP (Praça da República) e responsável pelas investigações, informou que as diligências para esclarecer a dinâmica do acidente estão sendo realizadas. Além de uma perícia ter sido feita no local por profissionais do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE), testemunhas também estão sendo intimadas a prestar depoimento na distrital.

— O que sabemos até agora é que ele ficou com a mão presa na porta, foi arrastado e acabou tendo o corpo imprensado na parede da Estação Uruguaiana, que é curva. Estamos buscando nas redes sociais passageiros que tenham presenciado o acidente para poderem esclarecer mais detalhes. Nossa intenção também é ingressar com uma ação de reparação indenizatória e punitiva contra a concessionária, justamente para tomarem medidas que evitem novas vítimas — explicou o advogado Marcello Peral, que representa a família do aposentado.

Não há dúvidas de que essa trágica morte se deu devido a uma falha reiterada que permitiu que a composição andasse com o idoso pendurado do lado de fora da porta, simplesmente por não haver um sensor que sinalizasse e impedisse isso — completou o também advogado Yannick Robert.

Procurado, o MetrôRio informou “lamentar profundamente o falecimento do cliente na Estação Uruguaiana, no último sábado”. “A concessionária entrou em contato com familiares e está à disposição para prestar toda a assistência necessária. O acidente ocorreu quando o passageiro tentou embarcar no momento em que as portas da composição já se fechavam. O botão de emergência foi acionado pelos passageiros, aplicando o freio de emergência no trem. O Corpo de Bombeiros foi chamado imediatamente, mas o cliente não resistiu aos ferimentos. A empresa instaurou um Comitê de Avaliação de Acidente para apurar as causas e prestar esclarecimentos à família e às autoridades”, disse, em nota.

Fonte:Extra