Plantão Policial

Músico que fazia show no Mavsa Resort teve 60% do corpo queimado em incêndio: 'Desesperador', diz irmã


O tecladista da banda que se apresentava no Mavsa Resort, em Cesário Lange (SP), teve 60% do corpo queimado durante o incêndio que atingiu o hotel na noite desta segunda-feira (21).

"O estado dele é gravíssimo. Estamos angustiados com toda essa situação e a única coisa que podemos fazer é correr para que ele tenha o suporte médico necessário", conta a irmã do músico, Cintia de Fátima Camargo.

A ocorrência foi registrada em um espaço reservado para shows e eventos, por volta das 23h. Segundo o Corpo de Bombeiros, 20 pessoas ficaram feridas e foram levadas para unidades de saúde de Cesário Lange e Tatuí, com queimaduras e por terem inalado grande quantidade de fumaça

O Mavsa Resort informou que os pacientes são funcionários do hotel e integrantes da banda que se apresentava no espaço. Conforme a empresa, não há hóspedes entre os feridos.

Segundo a administração da Unidade Pronto Atendimento (UPA) de Tatuí, o tecladista Antone Roberto Camargo, de 43 anos, teve queimaduras de 2º e 3º graus, que atingiram os membros superiores.

Por conta da gravidade dos ferimentos, ele foi transferido para um hospital particular de Sorocaba nesta terça-feira (22).

Segundo a irmã do tecladista, Antone Camargo faz parte da "Banda Arquivo" há mais de 10 anos. O grupo apresentava o show "Las Vegas" para um grupo de hóspedes no salão "Dragon Bar" e faltavam 30 minutos para acabar o show quando houve o incêndio.

Além do tecladista, o homem de 49 anos que é cantor e baixista da banda também teve ferimentos graves e foi transferido pelo convênio da UPA de Tatuí para um hospital particular de São Paulo.

Conforme apurado pela TV TEM, o local do incêndio foi evacuado rapidamente, mas os dois músicos voltaram para buscar instrumentos. Eles e mais cinco pessoas seguiam hospitalizadas até a noite desta terça-feira (22).

De acordo com o boletim de ocorrência, as chamas se espalharam rapidamente pelo local devido ao material que revestia as paredes e o teto do prédio.

Os bombeiros informaram que a suspeita é de que artefatos pirotécnicos tenham causado o incêndio, mas o espaço vai passar por perícia técnica e o caso está sendo investigado pela Polícia Civil de Cesário Lange.

Segundo o delegado responsável, o laudo da perícia vai ajudar a polícia a identificar se o incêndio foi criminoso ou não, e deve sair em 30 dias. A Polícia Civil também já oficiou a prefeitura para saber se o local estava com as documentações em dia.

À TV TEM, a prefeitura de Cesário Lange informou que o Mavsa Resort é legalizado e tem todos os alvarás de funcionamento. A Defesa Civil esteve no local.

Já o Ministério Público, através da Promotoria de Justiça de Cesário Lange, disse que também instaurou um inquérito civil para apurar o caso.

Em nota, o Mavsa Resort informou que a brigada de incêndio foi acionada para retirar as pessoas e que o local tem todos os alvarás de funcionamento em dia, "sendo que a última vistoria aconteceu em dezembro de 2021".

Ainda conforme a empresa, somente o espaço onde ocorreu o incêndio foi interditado e o restante das atividades do resort já funcionou normalmente na terça-feira (22).

"As causas do acidente estão sendo investigadas e o Mavsa está colaborando, efetivamente, com a perícia. O resort informa também que está prestando o suporte necessário para todos os atingidos e seus familiares", completou a nota. Com informações do G1.