Plantão Policial

Protetora de animais mata pit bull que atacou filho e gato

A protetora de animais que esfaqueou e matou uma cadela da raça pit bull em Itapeva (SP) afirma que agiu por instinto de defesa, já que a cachorra atacou seu gato e também tentou atacar o filho dela, de 20 anos.

Ela disse que a cadela estava solta na rua quando atacou o gato. “Quando eu vi, ela [a pit bull] já estava ‘grudada’ no pescoço do gato e o arrastando pela rua”, diz a protetora animal e professora Betty Camargo.

“Tentei de várias formas evitar isso, chutando, batendo com a vassoura e por último puxei a pitbull pela pata traseira e ela avançou. Não tive outra opção a não ser pedir uma faca para minha filha. Foram duas facadas, uma delas superficial.”

Ainda segundo a protetora animal, mesmo machucada, a cadela correu atrás do filho dela, mas não conseguiu alcançá-lo.

O animal foi socorrido e levado pela mulher até uma clínica veterinária, já que o dono da pitbull não foi encontrado no momento do incidente.

“Eu socorri a cachorra, pois se dependesse de outras pessoas ela tinha morrido na rua. Foram 15 minutos de horror e nenhum dos vizinhos que hoje me acusam me ajudaram”, afirma.

A cadela morreu na clínica veterinária e o gato não está conseguindo andar, segundo Betty. “Estou acabada, pois tive de escolher entre o pitbull ou a minha família.”

Segundo a Polícia Civil, um boletim de ocorrência da violência contra animais foi registrado pelo dono da pitbull. Já a mulher prestou depoimento na delegacia, foi ouvida e liberada. Com informações do G1.