Plantão Policial

BAHIA: Funcionários de lava jato encontram dinheiro em carro e devolvem a cliente

Foto: Welter Arduini
O que era pra ser uma situação inusitada, acabou se tornando um gesto de honestidade. Na manhã deste sábado (17), dois funcionários de um lava jato, na avenida Centenário em Salvador, encontraram R$ 200,00 e, em seguida, devolveram ao dono, o consultor de negócios Welter Arduini.  

Laílson Guedes, 22, e Cássio Silva Conceição, 24 anos, estavam passando o aspirador no carro do cliente no momento em que acharam a quantia. O dinheiro estava localizado embaixo do trilho do banco do veículo.

“Quando eu fui passar  aspirador de pó, achei o dinheiro e chamei o cliente [Welter]”, contou Laílson, que trabalha há mais de um ano no lava jato. Morador do bairro da Fazenda Grande do Garcia,  o  jovem tem um filho e custeia parte dos gastos da família com o dinheiro que ganha no local. 

Ele diz ainda que  já achou outros pertences e até mais dinheiro em carros de outros clientes. “Eu não pego nada. Já encontrei celular e até valor mais alto, mas sempre devolvo”, afirma. 

Já Cássio trabalha no lava jato há pouco menos de um mês. Morador do bairro do IAPI, ele está tirando as férias de outro funcionário do local. “Nós devolvemos sem pensar. Sempre sou correto com meus atos e não quero nada de ninguém”, comentou. 

O cliente conta que havia esquecido do dinheiro no carro. “Eu tinha sacado a quantia há uns vinte dias e tinha esquecido. Nem me dava conta que o dinheiro estava lá”, contou. 

Ele ainda disse que os jovens “claramente” são pessoas de bem. “Aquele dinheiro tinha tudo pra ser a compra do final se semana daqueles meninos, que ganham salários baixos e dão um pique danado no trabalho”, completou. 

Para agradecer à atitude dos  funcionários, Welter fez uma homenagem nas redes sociais. Ele utilizou seu perfil no Instagram e no Facebook para publicar a seguinte mensagem:

“Laílson & Cássio, como eles, há milhares! Digo e repito: podemos ter fé e esperança nessa juventude que batalha! Os R$ 200 que eu nem sabia que estavam em algum lugar de meu caro foram “aspirados” e devolvidos naturalmente. “Ôxe...era nosso, não”, disseram. O ser humano tem jeito". Com informações do Correio24hs.