quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Recôncavo News

Adolescente de 14 anos desaparece a caminho da escola na Bahia

A adolescente Evellyn Pereira, de 14 anos, está desaparecida desde segunda-feira (7), quando saiu de casa, no bairro de Águas Claras, para escola que fica em Cajazeiras V, em Salvador. De acordo com a tia de Evellyn, Graziela Meireles, 29, ela foi vista pela última vez ontem pela manhã, quando o pai a deixou se arrumando para ir à escola e saiu para trabalhar, por volta das 5h30. A mãe da garota não estava em casa, pois a mesma estava no Hospital Irmã Dulce, de onde é funcionária.
Graziela contou que a sobrinha estuda no colégio Batista Neves, em Cajazeiras V. Segundo a tia, os familiares chegaram a receber uma ligação informando que Evellyn teria sido vista em um ponto de ônibus em Cajazeiras VII, por volta das 8h, horário em que deveria estar na sala de aula. Na manhã desta terça-feira (8), um suposto sequestrador fez contato com a família através do perfil de uma rede social da própria vítima. “Nós enviamos mensagens para o Facebook dela, a mensagem foi visualizada e depois responderam: ‘Já tem um tempo que estou seguindo ela, mas ela não deu brecha. Como ela não foi da melhor maneira possível, vai ser da pior. Ela está dopada'”, relatou a tia sobre o retorno recebido.
Ainda segundo Graziella, ontem à noite, uma pessoa atendeu o telefone de Graziela, deu uma gargalhada e desligou. “O telefone dela só estava dando como desligado, mas depois a gente recebeu uma mensagem dizendo que o número já estava disponível para receber ligações. Quando o pai dela ligou, ouviu apenas uma gargalhada e desligaram o telefone na cara dele”, contou a tia, que assim como toda a família, está aflita em buscas de notícias sobre o paradeiro da adolescente. A família de Evellyn Pereira fez um boletim de ocorrência na tarde desta terça-feira (8), na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no bairro da Pituba. 
Por lá, Graziela contou que a sobrinha, que mora só com os pais, nunca tinha saído de casa sem dar notícias antes, não dormia fora e nem tinha namorado. “Ela só dormia fora quando ia para minha casa, em Brotas. Era o único lugar que ela dormia além da casa dela. Se ela tinha namorado era escondido”, afirmou. A família de Evellyn pede para quem tiver notícias que possam ajudar a descobrir sobre o paradeiro da adolescente, que ligue para os números 71 99275-6184; 71 98755-5645; 71 98780-7411 ou 71 98893-5362. Fonte: Agora na Bahia.