Plantão Policial

Diretor de escola suspeito de furtar merenda de alunos para fazer churrasco

Ele foi solto nesta quinta-feira (3) após audiência de custódia. Diretor foi afastado do cargo e não pode manter contato com funcionários da unidade educativa.

O diretor de escola público preso em flagrante por roubar carne da merenda escolar em Quixeramobim, no interior do Ceará, foi solto nesta quinta-feira (3), um dia após ser detido, e responderá em liberdade pelos crimes de fruto e peculato (quando a pessoa se beneficia de um cargo público para cometer crime).

Em acordo pela soltura, o diretor da escola concordou que não entraria na unidade escolar e nem pode falar com funcionários. Ele também foi afastado do cargo.

Nas imagens desta quarta, é possível ver quando o diretor sai da escola sozinho carregando um saco com os produtos. Já em outro vídeo, de agosto deste ano, ele é visto com outro homem. A Polícia não passou informações sobre este segundo homem.

A Secretaria da Educação (Seduc) disse que, por meio da Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação (Crede) 12, acompanha a ocorrência e vai adotar as providências necessárias, incluindo processo legal para afastamento do profissional.

A Polícia Civil informou que prendeu em flagrante, nesta quarta-feira (2), pelo crime de peculato-furto, um homem de 44 anos, suspeito de furtar merenda escolar da instituição do qual ele é diretor. Ainda de acordo com a polícia, o diretor não reagiu à prisão e foi conduzido à unidade policial.

O delegado Rodrigo Silva, de Quixadá (município vizinho), que conduziu a investigação, informou que o diretor usava o carro particular para levar os produtos. O trabalho investigativo iniciou há cerca de quatro meses após uma denúncia anônima, O delegado também disse que o homem é diretor da escola há, pelo menos, nove anos.

O delegado disse que, no percurso entre a escola e a casa onde foi efetuada prisão em flagrante, o diretor parou em um supermercado e comprou um litro de cachaça. Na Delegacia Municipal de Quixeramobim, ele foi autuado em flagrante pelo crime de peculato-furto. Carnes, ovos, pães e leite foram apreendidos pelos investigadores.

“Nós nos deslocamos até o local para ver se ele saía com alguma coisa. Percebemos que ele vinha com um saco nas mãos, e que ele colocou no porta-malas do carro particular dele. Então, a gente decidiu acompanhá-lo, porque não tínhamos certeza se era merenda escolar ainda, para ver até onde ele ia levar o saco”, explicou Silva.

Após a prisão, os itens foram devolvidos à escola. “A coordenadora financeira do colégio foi ouvida. Ela quem recebeu os itens de volta. Nós, inclusive, fizemos diligências posteriores no colégio para confirmar que os itens encontrados com ele eram similares aos existentes na escola. Analisamos lote, marca, data de fabricação, prazo de validade”, disse o delegado.

Ele informou que o crime não cabe fiança na delegacia, e que a pena é de dois a 12 anos, podendo ser agravada devido à continuidade delitiva em razão do crime ter acontecido repetidas vezes. A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPD) disse que as diligências e oitivas permanecem com foco em elucidar todos os detalhes sobre o crime.

Fonte: g1