Plantão Policial

Viúva e pai de santo são presos por matar motorista de aplicativo e esconder corpo; Veja detalhes

Após ser presa por policiais da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) por homicídio qualificado e ocultação de cadáver do companheiro, o motorista de aplicativo Alberto de Oliveira Gomes, Andreia Ramos Cortes confessou participação nos crimes. Informalmente, a viúva narrou ter colocado no suco da vítima um medicamento que inibe as funções do sistema nervoso central e permite alguma sedação e a deixado, desacordada, em uma área de mata fechada, no Alto da Boa Vista.

Já o outro acusado, Marcos Felipe , que é pai de santo num terreiro de umbanda, disse que não tem ligação com o crime. Em depoimento, afirma que só participou como um álibi de Andreia, afirmando que ela estaria em seu centro, em Tomás Coelho, no dia do desaparecimento. 

O corpo foi encontrado oito dias depois, já em adiantado estado de decomposição

 Ele (Marcos Filipe) prestou depoimento, negou a participação no crime e disse que a única participação foi reforçar um álibi que a Andreia teria dado aqui na delegacia: no dia do suposto desaparecimento eles estariam juntos.

 Quando, na verdade, ficou bem provado que a Andreia estava com seu companheiro, a vítima, na ocasião. 

Ele sustentou a história trazida por ela, que a Andreia estava no centro de umbanda em Tomás Coelho — explicou Alexandre Herdy, titular da Delegacia de Homicídio.

Pouco antes das 14h desta quinta-feira, Marcos Filipe Santana de Oliveira foi levado da Delegacia de Homicídios da Capital, na Barra da Tijuca, para prisão em Benfica. Já Andreia Ramos Cortes segue prestando depoimento na unidade.

As investigações continuam, com análise de quebra de dados telefônicos dos dois, de acordo com Herdy, com prazo de 30 dias, e chance de prorrogação por mais 30.

Viúva diz que planejou crime com pai de santo

Foi Andreia quem encontrou o corpo de Alberto, no Alto da Boa Vista, acompanhada de outras pessoas. 

O delegado afirma que Marcos Vinicius estava com Andreia neste dia, mas até o momento não se pode afirmar que ela teria tido ajuda de terceiros no dia da morte.

— Não podemos precisar se teve ajuda, mas é possível que tenha feito só. O relato que ela nos passou informalmente, bate com nossas informações: o carro da vítima passa subindo o alto da Boa Vista, 21h49, e dez minutos depois ela desce sozinha.

Viúva confessa ter colocado sedativo em suco de motorista de app e o deixado desacordado em área de mata

É possível que ela tenha feito só, mas não vemos razão para ela envolver uma segunda pessoa no crime, justamente alguém que tinha uma boa relação com ela, uma vez que a pena dela não vai mudar lá na frente: ela ter planejado e executado parte do crime não vai beneficiá-la.

As investigações continuam, com análise de quebra de dados telefônicos dos dois, de acordo com Herdy, com prazo de 30 dias, e chance de prorrogação por mais 30.

Na delegacia, Andreia relatou ainda que o planejou o crime com seu pai de santo, Marcos Filipe Oliveira Santana, contra quem também foi cumprido um mandado de prisão temporária. 

Segundo a viúva, ele a estaria pressionando a fazer seguros de vida em nome de seu companheiro, realizar o pagamento das mensalidades e o matar para que dividissem o valor das duas apólices, que somam R$ 600 mil. 

O combinado seria, após o corpo de Alberto ser deixado por ela no lugar marcado, ele terminaria o “serviço”.

Imagens de câmeras da região obtidas pelo EXTRA mostram o momento que o carro de Alberto chega até a Estrada da Vista Chinesa, na noite de 26 de setembro. Minutos depois, Andreia aparece nos vídeos deixando o local a pé.

Em depoimento, ela contou ter estudado em um colégio particular na região, durante a adolescência, e não frequentar o local há cerca de 30 anos.

Fonte:Extra