Plantão Policial

Jovem morta durante ménage já havia sido agredida e foi isolada dos amigos pelo namorado



Testemunhas relataram que ela já havia aparecido com hematomas pelo corpo.

A investigação da Polícia Civil sobre o assassinato da jovem de 20 anos morta pelo namorado por ciúmes durante um ménage, em Patos de Minas, está na fase de oitiva das testemunhas.

Nesta quarta-feira (19), em entrevista ao g1, a delegada Tatiana Carvalho disse que a vítima, Gilmara Ferreira, havia se mudado para a cidade neste ano e que já havia sido agredida pelo companheiro, Diego Resende, em outras ocasiões.

Conforme a delegada, a jovem, que nasceu em Alagoas, chegou a perder o emprego que tinha em uma lanchonete porque um homem estava vigiando ela no local.

O inquérito que apura o crime deve ser concluído até a próxima semana.

a defesa de Diego Resende, que informou que ele não prestou depoimento à polícia e só irá se pronunciar à Justiça. O advogado também afirmou que solicitou laudos médicos para avaliar a saúde mental do suspeito.

Relacionamento abusivo

Nascida em Flexeiras (AL), Gilmara Ferreira se mudou para Patos de Minas há cinco meses para morar com amigos. Ela não tinha parentes na cidade e mantinha contato com a família pelo telefone.

Segundo a delegada, ela conheceu Diego Resende pouco depois de se mudar para Minas Gerais e os dois começaram a viver juntos em agosto.

"Com o tempo, ela foi se isolando e perdendo o contato. Os amigos não a viam há dois meses, e estavam suspeitando até que as mensagens mandadas pelo celular dela não eram escritas por ela, pelas palavras usadas. Há a suspeita que ela era impedida de sair de casa", disse Tatiana.

De acordo com Tatiana, em depoimento à Polícia Civil, amigos da jovem relataram que tinham percebido hematomas no corpo dela. Além disso, Gilmara perdeu o emprego em uma pastelaria porque um homem estava vigiando ela.

"Os donos do estabelecimento perceberam que um homem, que não era o suspeito, estava vigiando ela no local. Então, eles ficaram incomodados e mandaram ela embora", continuou a delegada.

Em relação ao suspeito, Tatiana informou que ele já possuía passagem pela polícia e histórico de violência doméstica.

"Ele tem antecedentes de ameaça, lesão corporal e uso de drogas. Então é uma pessoa já com alguma passagem policial e infelizmente os depoimentos tem mostrado uma pessoa muito ciumenta, muito possessiva, com atitudes agressivas", declarou.

O crime

O homicídio ocorreu na noite da última sexta-feira (14), na residência em que o casal morava, na Avenida Tomaz de Aquino. De acordo com a Polícia Militar, o suspeito procurou o outro rapaz por meio de uma rede social e o convidou para a prática conhecida como "ménage". Durante a relação sexual, ele sentiu ciúmes da companheira e começou a agredi-la.

O rapaz que havia sido convidado relatou aos militares que tentou ajudar a vítima, mas foi ameaçado e agredido pelo suspeito com um cabo de madeira. Ele só conseguiu sair da casa horas depois e contou a situação para um amigo, que chamou a PM.

De acordo com o delegado de Homicídios, Luiz Mauro Sampaio, Diego Resende agrediu a companheira por mais de uma hora. O corpo da vítima foi encontrado no interior da residência com sinais de violência e dentro de um saco fechado com fitas.

A PM informou que foi até o local do crime e prendeu o suspeito em flagrante. Segundo a corporação, ele confessou ter cometido o assassinato por ciúmes.

Fonte:g1