Plantão Policial

Vídeo: Juíza flagra momento em que PM agride e rasga CNH de motoboy

 


Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o momento em que um policial militar agride e rasga a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) de um motoboy. O flagra foi realizado na cidade de Manaus, capital do Amazonas, por uma juíza. Após o acontecido, ela foi exigir explicações dos PMs a cerca do ocorrido.

“Não tem pessoa que apoia mais a polícia do que eu, não tem! Tenho policial na minha família, tanto militar como civil, agora eu não vou admitir o que aconteceu aqui. O senhor bater e rasgar, na frente de todo mundo, rasgou a habilitação do rapaz. Prenda meu senhor, prenda, faça sua parte”, disse a juíza enquanto argumentava com o policial.

Em um áudio enviado a um grupo de amigos, o motociclista explicou o que aconteceu. “Eles entraram para a esquerda, e eles não deram pisca. Aí eu buzinei, e disse ‘dá o pisca, meu patrão’, só isso. Daí eu segui normal, e lá na frente eles me encostaram, daí eu parei e subi a calçada, e eles começaram a me agredir”, falou.

Em nota divulgada, a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas informou que está apurando o caso e não compactua com eventuais desvios de conduta. O restaurante para qual o motoboy estava prestando serviço também se pronunciou publicamente, afirmando que espera que “os responsáveis tomem as devidas providências”.

Tanto o Restaurante quanto a Polícia Militar do Amazonas se pronunciaram sobre o caso, veja: 

PMAM: 

A Polícia Militar do Amazonas (PMAM) informa que tomou conhecimento do fato e determinou instauração do processo administrativo disciplinar pela Diretoria de Justiça e Disciplina (DJD) da instituição para que o caso seja devidamente apurado e que as medidas administrativas em relação ao ocorrido sejam tomadas. A PMAM ressalta que não compactua com eventuais desvios de conduta praticados por seus policiais. A Corregedoria-Geral da SSP-AM vai acompanhar o processo disciplinar a ser instaurado pela PMAM. A SSP-AM também reforça que não compactua com quaisquer desvios de conduta de agentes da Segurança Pública estadual, tendo o dever legal de apurar o fato.”

Restaurante:

A Porteira Picanharia vem através dessa nota repudiar qualquer tipo de agressão. Um motoboy que estava prestando serviço na Porteira sofreu agressão física e psicológica por dois policiais militares. Respeitamos e admiramos o trabalho da polícia militar, mas não compactuamos com qualquer tipo de agressão. Esperamos que os responsáveis tomem as devidas providências e que esse caso não fique impune!”


Fonte: bnews.com.br