Plantão Policial

SSA: Grávida é espancada pelo ex-companheiro na frente da filha de 5 anos do casal


Uma mulher que está grávida de seis meses foi espancada com socos pelo ex-companheiro, no bairro de Pirajá, em Salvador. O crime aconteceu no início da noite de sábado (5), na Rua Velha de Pirajá. A vítima foi hospitalizada e, nesta segunda-feira (7), o estado de saúde dela é delicado.

A vítima foi identificada como Tatiane Ferreira Santana. Segundo testemunhas, o casal iniciou uma briga quando ela esteve na oficina mecânica do ex-companheiro, com a filha de 5 anos do casal, para pedir dinheiro para fazer compras para a criança.

Por causa do pedido, o homem, que ainda não teve nome divulgado, passou a agredir a vítima. Depois que Tatiane desmaiou com as agressões, ele fugiu do local. Vizinhos ligaram para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que esteve no local e socorreu a gestante para a Unidade de Pronto Atendimento do bairro.

"Ela foi pegar o dinheiro para comprar as coisas para dentro de casa, porque ela está desempregada, grávida, e com a filha de 5 anos, que é filha desse ex-companheiro dela. Ela foi lá e eles entraram em contradição [discordância] conversando. Depois de um tempo eles começaram a discutir. Ele agrediu ela com socos, jogou ela no chão e foi embora", contou Bruno Ferreira, irmão de Tatiane.

"Ele nem deu socorro, quem deu socorro foi o pessoal que ia passando e viu ela caída no chão, porque ela já ficou desacordada. Quando ela acordou, já foi na emergência”.

De lá, Tatiane foi transferida para o Hospital do Subúrbio e teve alta ainda no sábado. No entanto, Bruno detalhou que a irmã está com o rosto deformado e que precisa passar por uma cirurgia, adiada por causa da gravidez. Não há informações se o bebê que Tatiane espera também é filho do agressor.

Nesta manhã, a gestante retornou ao hospital para fazer exames e depois seguiu para o Instituto Médico Legal, para fazer o corpo de delito.

“Ele fez essa covardia com ela. Isso não se faz, independentemente de ter brigado, discutido, se ela falou alguma coisa que ofendeu ele. Isso não se faz, não justifica esse tipo de agressão. Ela está com o rosto totalmente deformado, está com vergonha”.

O hospital não vai poder fazer a cirurgia dela, porque ela está grávida, então tem muitas complicações. Nem medicação ela está podendo tomar, por causa do bebê. Ela está sofrendo, chorou muito essa noite”.

O Samu também informou o caso à Polícia Militar, que procura o agressor. O caso é investigado pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Periperi. Com informações do Acorda Cidade.