Plantão Policial

Feira de Santana: Jovem é morto a tiros durante almoço


Bruno Felipe Santos Pereira, 20 anos de idade, foi morto a tiros por volta das 14h desta quarta-feira (9) na área externa de um Hortifruti, localizado na rua Jordânia, bairro Estação Nova, em Feira de Santana.

Ao Acorda Cidade, o tio da vítima, Luydman Freitas de Souza, explicou que o sobrinho trabalhava em uma revendedora de frutas e durante a tarde realizava as cobranças, bem como o recolhimento dos caixotes.

"O que eu posso informar e o que fiquei sabendo aqui é que ele, junto com o patrão, veio buscar os caixotes como de costume aqui. Parece que o local estava fechado, então ele estava aguardando e foi almoçar. Passaram uns homens em uma moto e deflagraram os tiros contra ele, assim eu fiquei sabendo aqui. Antes dele sair de casa, minha avó até perguntou se ele não iria almoçar, mas ele falou que já estava atrasado", informou. 

Ainda de acordo com Luydman Freitas, Bruno Felipe residia na Praça da Liberdade, no bairro da Rua Nova.

"Todos da família são pessoas de boa índole. A vida dele no dia a dia era jogar bola, era um sonho dele, porém como ele ficou de maior, viu que não iria dar certo nessa área, então começou a correr atrás do emprego. Ele não ficava parado de maneira nenhuma. Eu acredito e boto minha mão no fogo, que isso aí foi coincidência ou acharam que ele fazia parte de alguma facção, mas eu garanto que ele não tinha nenhum envolvimento com nada", disse.

A delegada Thiara Martins, que realizou o levantamento cadavérico juntamente com policiais civis e peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT), disse ao Acorda Cidade que algumas testemunhas que estavam no local informaram que o autor dos disparos se aproximou a pé da vítima.

"Esse homicídio que aconteceu aqui surpreendeu a todos que estavam no local, ainda mais pelo horário e pelas características da vítima. A princípio, uma pessoa que não tinha envolvimento com atividades ilícitas, estava trabalhando no momento em que foi alvejado pelas costas, vindo a óbito no local. Ainda não temos como confirmar algumas informações, mas consideramos todas as linhas de investigação. Essa informação da moto ainda não foi confirmada, porque testemunhas relataram que o autor se aproximou a pé da vítima, então a gente ainda precisa fazer um levantamento na área, com as testemunhas, verificar as imagens, para certificar como foi a abordagem e a dinâmica do crime", explicou.

Ainda segundo a delegada, as investigações terão continuidade, mas acredita que a vítima não estava sendo perseguida.

"A gente sempre localiza câmeras de segurança, mas este é um trabalho da Polícia fazer esta investigação com total sigilo possível, para que as imagens não se percam, prejudicando a identificação do autor. Como ele estava trabalhando na companhia do patrão, um local que ele estava pela primeira vez, foi alvejado pelas costas, acredito que ele não estava sendo perseguido", concluiu. Com informações do Acorda Cidade.