Plantão Policial

Fisiculturista dono de academia morre de Covid-19 aos 40 anos


O fisiculturista e empresário Roberto Gervásio, de 40 anos, morreu neste sábado (12) de Covid-19 em Curitiba, segundo a família. Dono de uma academia na capital paranaense, ele ficou um mês internado no Hospital de Reabilitação Ana Carolina Moura Xavier. O enterro ocorreu no dia seguinte.

Segundo Kelvin Tavares Gomes, irmão de Gervásio, o fisiculturista morreu por complicações da doença causada pelo coronavírus.

"Ele tinha saúde para dar e vender. Dois dias depois de dar entrada no hospital, já foi entubado e sedado. E, aí, começaram a surgir as complicações", afirmou o irmão. De acordo com ele, o fisiculturista teve problemas no pulmão e contaminação por bactéria.

Gervásio foi campeão na categoria Physique Novice, em 2019, no Sardinha Classic, uma das principais competições nacionais da modalidade.

O Hospital de Reabilitação Ana Carolina Moura Xavier é mantido pelo governo estadual, e a Secretaria Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que não pode dar detalhes sobre a causa da morte.

Kelvin contou que toda a família ficou em choque, porque Gervásio era saudável – todos esperavam que ele se recuperasse. "A Covid, na verdade, já tinha passado. Foram as sequelas que ficaram que derrubaram ele", afirmou Kelvin, que ressaltou ainda que o irmão foi muito bem tratado pela equipe médica do hospital.

Antes disso, ainda conforme o irmão, recentemente Roberto tinha sofrido um acidente de moto e ficou com uma fratura exposta em uma das pernas.

"Ele foi tratando, tratando, e teve uma melhora. Mas, como a imunidade ficou baixa porque ele tomou muitos medicamentos, acho que isso também complicou um pouco a situação dele", contou.

Apaixonado pelo esporte, o empresário era fisiculturista havia mais de dez anos. Nas redes sociais, muitos alunos e admiradores publicaram homenagens ao profissional e amigo.

"Todos da família estão muito mal e arrasados. E, para mim, meu irmão ia voltar porque era um cara que se cuidava muito. Então, fica difícil falar em sentimento, é muito triste o que aconteceu com ele", lamentou Kelvin.

O irmão afirmou ainda que ninguém da família imagina como Roberto contraiu a Covid-19, porque ele se preocupava muito com a doença e tinha cuidados diários.

"Não dá para dizer [como ele se contaminou], porque ele participava de competições e atuava diariamente na academia, mas sempre fazia exames de rotina, como todo atleta faz."

Segundo a Sesa, até segunda-feira (14), Curitiba registrou 44. 821 casos confirmados do novo coronavírus e 1773 mortes pela Covid-19. Em todo o Paraná são 329.297 casos confirmados e 6.744 mortes por causa do vírus. Com informações do G1.