Plantão Policial

Marketing pós-pandemia: entenda quais são as previsões para se destacar no mercado

O novo coronavírus causou uma série de mudanças no mundo inteiro. Além de hábitos sanitários novos, veremos muitas alterações na forma como a economia vai se organizar. Um exemplo disso é o marketing pós-pandemia.

A economia foi profundamente afetada pela pandemia. São milhares de empresas que tiveram de fechar as portas por causa da situação, com outros milhões de profissionais perdendo o emprego.

No entanto, um setor que não passou por tantos problemas assim (embora tenha tido os seus percursos negativos) foi o marketing. Além disso, a expectativa é que ele tenha um retorno rápido pois deverá liderar o caminho da recuperação pós-pandemia.

Mas o que esperar do marketing pós-pandemia? O que será mais importante nesse momento? É o que veremos a seguir!

A presença digital não poderá ser ignorada no marketing pós-pandemia

Atualmente, existem mais smartphones ativos no Brasil do que pessoas. Isso significa que cada ser humano tem, em média, um celular e alguns de nós têm dois ou mais.

Portanto, é fácil assumir que todo mundo vive na Internet e está online o tempo todo. Afinal, ela está literalmente no nosso bolso a todo momento.

No entanto, as coisas não são bem assim. Na verdade, nem todas as empresas que existem no Brasil contam com presenças online. Muitas delas já têm, claro, mas tantas outras não estão online.

No marketing pós-pandemia, no entanto, isso não poderá continuar assim. As empresas precisarão obrigatoriamente estar presentes na Internet, com perfis em redes sociais ou no Google Meu Negócio.

Assim, a criação de websites e a gestão de mídias sociais serão elementos prósperos no ambiente online, pois as empresas precisarão de presença online pra conseguir vender.

E por falar nisso…

O marketing pós-pandemia será mais focado em vendas
Atualmente, o marketing digital é uma ferramenta de dois gumes. De um lado, ele constrói autoridade online, garantindo que a empresa terá engajamento nas redes sociais, um fluxo estável de tráfego orgânico e uma presença digital forte.

De outro, ele é uma ferramenta de vendas, transformando anúncios nas redes e no Google em negócios fechados, além de convertendo leads em novos clientes em pouco tempo via e-mail marketing.

No entanto, essa postura existe porque é possível vender offline graças ao esforço online. Por exemplo, uma empresa de grande porte pode ter um perfil no Instagram com nenhuma preocupação de venda, pois sabe que aquele trabalho de ativação de marca vai dar resultados no cenário offline.

Dito isso, entretanto, as restrições de contato físico durante a pandemia fazem com que não seja possível vender offline como antigamente. Por causa disso, o marketing digital terá de assumir uma postura de vendas muito mais intensa do que tinha antes.

Equipes multidisciplinares trabalhando à distância serão comuns

O dia a dia de uma agência de marketing é corrido. São muitas reuniões, encontros com clientes, amostragem de peças, mais reuniões e outros eventos do tipo. No entanto, o marketing pós-pandemia terá um pouco menos disso.

Como o home office é uma das principais ferramentas enquanto o vírus não for controlado, as principais agências do Brasil e do mundo já estão trabalhando de casa. Além disso, é importante ter em mente que a maior parte das empresas aprovou os resultados obtidos via home office.

Por isso, podemos pressupor que o regime de trabalho remoto continuará como norma nos próximos meses, o que permitirá o nascimento de equipes multidisciplinares trabalhando à distância.

Para os profissionais, isso significa menos vínculo com uma agência apenas e mais com projetos específicos. Afinal, a maioria dos profissionais possivelmente migrará para o formato freelance e prestará serviços em projetos singulares para diferentes agências.

Isso permitirá mais diversidade em ação, além de um sistema de trabalho que dê mais autonomia para os profissionais e mais qualidade para os clientes.

A criatividade será a regra do novo marketing

Normalmente, marketing e criatividade já são tratados como sinônimos. Afinal, não dá para usar fórmulas prontas dentro de uma campanha publicitária, não é mesmo?

No entanto, a criatividade terá de deixar de ser algo apenas para o conteúdo das campanhas e deverá ser a própria gênese do marketing pós-pandemia. Afinal, os recursos serão escassos e os resultados serão cobrados.

Por exemplo, como ampliar a forma de contato com o consumidor? Que tal aproveitar o fato de que 99% dos smartphones no Brasil têm WhatsApp e usar esse recurso gratuito para atender ao público?

E como vender aqueles apartamentos de um empreendimento imobiliário do cliente? O ideal é explorar o que as redes sociais e o Google podem gerar de leads, tanto no tráfego orgânico, quanto no pago.

Levando tudo isso em conta, o marketing pós-pandemia será um espaço com ações remotas, times multidisciplinares e um foco tremendo nas ferramentas online com foco em vendas diretas. Com criatividade e disposição, será possível ajudar os seus clientes a liderar a retomada econômica.

E você, o que acha que acontecerá no pós-pandemia? Comente abaixo com a sua opinião!