Plantão Policial

Durante julgamento, mulher perdoa marido suspeito de disparar cinco tiros contra ela: “eu amo ele”

Uma mulher, identificada como Michelli, beijou o marido, Lisandro Rafael Posselt, 28, suspeito de ter disparado cinco tiros contra ela durante um julgamento em um fórum do Grande do Sul. O caso ocorreu nesta última terça-feira (28) na cidade de Venâncio Alves, a 129 km de Porto Alegre.

Em entrevista a um portal local, Gazeta do Sul, a mulher contou que os dois estava junto há um ano e meio. Na época do crime, o casal brigou devido a conversas que ela pegou no celular do companheiro. 

Após discussões, o homem acabou efetuando os disparos. “Eu provoquei muito ele naquele dia e por isso ele disparou. Eu ameacei que iria denunciá-lo à polícia por estupro […] Nós vamos conversar e se der tudo certo a gente vai voltar e tudo vai ser como antes. Eu amo ele e já o perdoei”, declarou.

Em depoimento, a esposa contou havia atiçado Lisandro, logo em seguida, pediu permissão para beijar o marido no tribunal. O promotor do caso, Pedro Rui da Fontoura Porto, contou ao Gazeta do Sul que durante o julgamento a vítima sempre falava que era a culpada de tudo ter acontecido e que a denúncia de estupro que havia feito era falsa.

“Entendemos que a versão não é verdadeira. Mesmo que fosse, não seria privilegiadora, pois o crime não foi na mesma hora. Ele saiu do local e retornou depois com a arma”, diz ele. Micheli e Lisandro brigaram em uma praça do ano passado, diante de amigos. O homem saiu do local, mas voltou armado. Os amigos tentaram proteger Micheli, escondendo ela em um carro, mas Lisandro atirou pelo vidro traseiro do veículo sete vezes, sendo que cinco atingiram a mulher.”, afirmou.

Na época do ocorrido, Lisando se apresentou na delegacia com a arma do crime no dia seguinte, sendo decretada a prisão preventiva. Michelli chegou a pedir medida protetiva, mas acabou mudando de ideia, solicitando a justiça autorização para visitar o namorado na prisão, mas o pedido foi negado. Por não ter antecedentes criminais, o suspeito teve a pena reduzida para oito anos e permanecerá em regime semi-aberto.