Plantão Policial

Dois milhões ainda não sacaram abono do PIS/Pasep 2018/2019

Termina no dia 28 de junho a possibilidade de saque do abono salarial do PIS/Pasep 2018/2019 (ano-calendário 2017) e, segundo o governo federal, dois milhões de trabalhadores brasileiros com direito ao benefício ainda não sacaram o dinheiro nos bancos. 


O número equivale a 10% do total de beneficiários desse exercício. Portanto, há R$ 1,53 bilhão à espera dos interessados. 

Aqueles que trabalham na iniciativa privada são vinculados ao PIS, cujo abono pode ser retirado na Caixa Econômica Federal. Os servidores públicos, com direito ao Pasep, recebem esse pagamento pelo Banco do Brasil (BB).

A maior parte dos trabalhadores que ainda não procuraram os bancos vive no Nordeste, onde ainda são esperadas 642.074 pessoas. principalmente nos estados do Maranhão, da Bahia e de Sergipe. Em seguida, aparece o Sul do país, com 584 mil retardatários, a maior parte do Rio Grande Sul.

Quem tem direito ao PIS/PASEP

Tem direito ao abono salarial o trabalhador inscrito no PIS/Pasep há, pelo menos, cinco anos, que tenha trabalhado com registro formal por, no mínimo, 30 dias em 2017 (ano-calendário de referência) e que tenha recebido uma remuneração mensal de até dois salários mínimos em média.

Além disso, é preciso que os dados dessa pessoa tenham sido informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais) entregue ao governo federal.

Como consultar saldo do PIS/PASEP


Para saber se tem algo a receber de PIS, o trabalhador pode consultar o aplicativo Caixa Trabalhador, acessar o site www.caixa.gov.br/PIS ou ligar para 0800-726-0207, informando o número do PIS.

No caso do Pasep, é possível fazer a consulta do valor a receber pela central de atendimento do Banco do Brasil (BB), nos telefones 4004-0001 e 0800-729-0001.

Para obter mais informações sobre o abono salarial, o trabalhador também pode fazer uma consulta pelo site trabalho.gov.br/abono-salarial ou ligar para 158.

O valor a receber por cada trabalhador é proporcional ao período trabalhado com registro formal no ano-base (2017). Quem trabalhou por 12 meses tem direito a um salário mínimo (R$ 998). Quem atuou por apenas 30 dias pode sacar R$ 84, o equivalente a 1/12 do piso nacional. Veja abaixo o total a sacar de acordo com o período trabalhado:

1 mês de trabalho - R$ 84

2 meses de trabalho - R$ 167

3 meses de trabalho - R$ 250

4 meses de trabalho - R$ 333

5 meses de trabalho - R$ 416

6 meses de trabalho - R$ 499

7 meses de trabalho - R$ 583

8 meses de trabalho - R$ 666

9 meses de trabalho - R$ 749

10 meses de trabalho - R$ 832

11 meses de trabalho - R$ 915


12 meses de trabalho - R$ 998