Plantão Policial

Por que a Terapia Ocupacional é tão importante?

Confira neste artigo o que você precisa saber sobre a Terapia Ocupacional, desde o início da profissão até os benefícios que ela proporciona!

Terapia ocupacional para Idosos
A Terapia Ocupacional é um recurso da área de saúde de extrema importância para a prevenção e tratamento de distúrbios físicos ou mentais e também de desajustes sociais e emocionais.

Isso porque muitas pessoas ao longo da vida passam por situações que tornam-se verdadeiros obstáculos e assim precisam de ajuda profissional para conseguir superá-los.

Cabe então ao terapeuta ocupacional estudar e avaliar o paciente de modo a identificar alterações e outras questões, e após isso, desenvolver atividades e exercícios que auxiliem na melhora da qualidade de vida, proporcionando mais autonomia e independência no dia a dia da pessoa.

A Profissão


O Terapeuta Ocupacional é o profissional que realiza este importante trabalho de auxílio e recuperação, desde bebês até idosos, por meio do estudo e uso das ocupações humanas.

A profissão foi regulamentada no Brasil em outubro de 1969 e portanto para atuar na área é necessário formação e inscrição no Crefito (Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional).

Principais disciplinas da graduação


  • Fisiologia;
  • Anatomia;
  • Biologia;
  • Psicologia;
  • Sociologia;
  • Ergonomia;
  • Ética;
  • Neurologia;
  • Ortopedia;
  • Recursos terapêuticos.

Principais Competências que o Terapeuta deve ter


  • Dinamismo;
  • Transmitir segurança;
  • Capacidade de observação;
  • Empatia;
  • Iniciativa;
  • Liderança;
  • Criatividade;
  • Lidar com estresse;
  • Trabalhar em equipe.

Onde a Terapia Ocupacional costuma ser feita?


  • Creches;
  • Escolas;
  • Hospitais;
  • Centros de reabilitação;
  • Clínicas particulares;
  • Ambulatórios;
  • Centros de convivências;
  • Instituições penais;
  • Programas de inclusão social;
  • Empresas;
  • Em domicílios.

Benefícios


  • Promove a autoaceitação;
  • Melhora a coordenação motora;
  • Diminui o risco de acidentes/quedas;
  • Melhora a autoestima;
  • Retoma a autonomia;
  • Promove o autodesenvolvimento;
  • Proporciona bem-estar geral.

Exemplos de quem pode se beneficiar desta Terapia


  • Uma criança que não brinca;
  • Uma criança ou adolescente que está tendo um mau desempenho escolar;
  • Um adulto que tem uma deficiência visual;
  • Um idoso que sofreu um AVC (acidente vascular cerebral);
  • Um idoso que não tem participação social.