Plantão Policial

Na volta do horário eleitoral, Bolsonaro se emociona com filha; Haddad afasta PT e Lula

Na volta do horário eleitoral para a campanha de segundo turno, os dois candidatos a presidente destacaram medos, fizeram referências às suas famílias e falaram em unir o Brasil. Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) também mencionaram a violência na campanha, tanto o atentado sofrido pelo candidato do PSL em setembro, quanto as denúncias de agressões contra apoiadores do petista em razão da disputa eleitoral.

Os espaços para os candidatos nas programações de rádio e televisão voltaram a ser veiculados nesta sexta-feira (12). Haddad e Bolsonaro têm cinco minutos cada um em quatro oportunidades ao longo do dia. Às 7h e às 12h no rádio, e às 13h e às 20h30 na televisão. Além disso, anúncios individuais serão veiculados ao longo da programação das emissoras. A propaganda eleitoral acaba em 26 de outubro, dois dias antes da realização do segundo turno.

Em seus cinco minutos, um locutor tomou a maior parte do tempo destinado a Bolsonaro no primeiro bloco de cinco minutos no rádio. Após quase três minutos de propaganda, Bolsonaro entra no programa e fala sobre seu “xodó”, a filha Laura. O áudio traz pausas longas, que demonstram a emoção de Bolsonaro ao relembrar que “já havia decidido não ter mais filhos” e tinha feito vasectomia. “Mudou muito a minha vida a chegada da Laura”.

No programa de Haddad, o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), explorado até o limite durante o primeiro turno, não foi citado uma única vez. O PT também não ganhou destaque. Haddad optou por dizer que “essa campanha não é de um partido”. “Quero contar com todos que são a favor da democracia. Eu conto com você. Vamos vencer a violência”.

Na primeira pesquisa que avaliou a disputa em segundo turno, Bolsonaro aparece com 58% dos votos válidos. Já Haddad, segundo o Datafolha, tem 42%. Com informações do Portal Uol.