Plantão RN

Produtor rural transforma estrume de porco em gás de cozinha

Um produtor rural da cidade de Andaraí, na região da Chapada Diamantina, na Bahia, instalou um biodigestor na propriedade dele que transforma o estrume do porco em gás de cozinha. A criação de suínos de seu Antônio Gomes de Lima fica em Umburanas, na zona rural do município. A atividade começou há três anos. Antes o produtor rural já trabalhava com o cultivo de produtos agrícolas.

Preocupado com o que fazer com a grande quantidade de dejetos produzida pelos animais, seu Antônio teve a ideia de instalar o biodigestor e ainda gerar uma economia no orçamento, já que usa o gás produzido pelo equipamento para cozinhar, quando está na propriedade. “[Pensei] tenho que fazer alguma coisa pra dar sumiço nesses dejetos", conta seu Antônio. No sistema usado por seu Antônio, os dejetos dos animais são direcionados para um tanque, que armazena tudo por algumas horas ou dias. 

O biodigestor é fechado, ou seja, não permite a entrada de ar. É dentro dele que ocorre a fermentação ou a degradação da matéria. Em alta temperatura, o resíduo orgânico produz bactérias que geram acetato, um tipo de ácido, que gera o gás metano, o biogás. Encanador industrial, seu Antônio já tinha um pouco de conhecimento do sistema quando resolveu implantá-lo na propriedade. "Eu já trabalhava em São Paulo com este sistema de gás predial e trabalho também com refrigeração. Aí já facilitou a coisa.. Dei uma pesquisadazinha e fui aprofundando comecei e deu certo", disse o produtor rural.

Depois que seu Antônio instalou o sistema na parte principal, ele puxou uma tubulação pelo terreno para chegar até a parte interna da casa. Na cozinha, o gás já está interligado com o fogão usado pelo produtor para cozinhar. “Vindo de lá [do biodigestor] é o tempo todo. Abasteceu de manhã pode cozinhar o dia inteiro. Feijão, arroz, um mocotó”, afirma.

Com o sistema, seu Antônio economiza não compra o gás de cozinha convencional, vendido a cerca de R$ 70 o botijão. "Eu não tenho mais esse problema. Me livrei da conta de gás, agora eu quero me livrar da conta de luz", diz seu Antônio. O biodigestor traz, ainda, outras vantagens: ajuda a fazer o saneamento básico, elimina os odores dos dejetos animais, reduz o número de insetos, como as moscas, e auxilia na preservação do meio ambiente, ao combater o aquecimento global, através da queima do gás metano, que é um grande causador do efeito estufa.

Seu Antônio usa, ainda, uma parte dos resíduos que saem do fermentador como adubo. " Uso para as palmas, as capineiras. Tem adubo para dar e vender. Mais uma fonte de renda", afirma o produtor rural. Seu Antônio agora pensa em trocar a criação de porcos pela de ovelhas. Mas o biodisgestor vai continuar sendo usado. "O porco, além de dar muito trabalho, a ração é muito cara. Dá [para usar o biodigestor] com fezes de porco, de cabra, de gado, de cavalo", afirma. Com informações do G1.