• Plantão Recôncavo News

    quinta-feira, 26 de outubro de 2017

    Mães cadastradas no Bolsa Família tem direito de receber valor extra durante e após gravidez

    Durante a gestação, muitos são os medos e anseios que passam pela cabeça da mulher: a saúde do bebê, a mudança na própria vida, da dinâmica familiar e a preparação para este novo papel que passará a desempenhar. Junto com um novo bebê, nasce também uma nova mãe. E essa fase única na vida da mulher requer uma atenção especial. É para suprir as necessidades que esse período demanda que, entre os benefícios adicionais oferecidos pelo Programa Bolsa Família, estão o Benefício Variável Gestante (BVG) e o Benefício Variável Nutriz (BVN), concedido durante 15 meses, sendo nove de gestação e seis de amamentação. Ambos criados em 2011 pelo governo federal.
    “Os benefícios variáveis tem o intuito de dar autonomia as mulheres, garantindo a saúde da mãe e do bebê, elevando a renda familiar e possibilitando a realização de um pré-natal qualificado”, explica o secretário de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social, Fernando Pereira. Os dados sobre a gestação são inseridos no Sistema do Bolsa Família na Saúde, para que o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) efetue o pagamento das parcelas mensais R$ 39. Em 2016, em todo o país, o benefício foi concedido a 594 mil mães.
    “Para receber o recurso, é necessário que a mulher inicie o acompanhamento com a equipe de atenção básica de saúde no município, que registra a data da última menstruação e a encaminha gestante para a realização do pré-natal. É obrigatória a realização de consultas e exames pré-natal, de maneira a permitir o desenvolvimento adequado das crianças, mesmo antes do nascimento, e assim melhorar as perspectivas de desenvolvimento futuro”, diz Fernando Pereira.