• Plantão Recôncavo News

    quarta-feira, 18 de outubro de 2017

    Após atentado que matou mais de 300 na Somália, internautas questionam falta de comoção

    Após o pior atentado da História da Somália, em que 300 pessoas morreram, internautas têm usado as redes sociais para manifestar sua consternação diante da falta de comoção e de campanhas na web prestando solidariedade à nação africana. 

    Diversos usuários também estão afirmando que há diferenças de reações depois de ataques em locais turísticos e desses dias que sucedem a tragédia do último sábado. 

    Até a segunda-feira de manhã, hashtags como #IAmMogadishu ou #PrayForSomalia não configuraram entre os assuntos mais comentários do Twitter, uma rede social que costuma provocar reações imediatas com mensagens de oração e solidariedade quando acontecem situações semelhantes a essa em outros países. 

    No entanto, a ausência de comoção foi percebida por alguns usuários que, agora, questionam por que essa reação ocorreu após o atentado na Somália.

    Mais de 300 morreram em mais um atentado terrorista. Não foi na Europa e sim na África. A dor é igual sabiam? 
    Mais de 300 mortos em atentados na Somália. Não veremos muito destaque na mídia, mas nos solidarizamos aos somalis. Triste.
    Cadê a tag ?
    Ah, não é Paris né, nem Londres! É só a Somália!
     Ver imagem no Twitter
    231 MORTOS em um atentado na Somália e oq está nos Trends é o braço do Ed Sheeran! um absurdo!!! 
    Ninguém soltou um  na minha TL.
    A hipocrisia determina só ter alguma relevância o atentado quando é em Paris ou Nova Iorque. https://twitter.com/g1/status/919555039320035328 
    Atentado com mais de 200 mortos na Somália e ainda não tem nenhum  têm q entender que os que morreram tbm são seres humanos
    Atentado na Somália, mais de 200 mortos. Ainda não vi nenhum . Como é na África, pouco importa.
    O continente africano sofre à décadas com uma tragédia humanitária ignorada pelo mundo. Triste demais.
    Quase 300 mortos e pouco destaque nos grandes portais. Resta a nós, povo do Twitter, prestar solidariedade e procurar ajudar