• Plantão Recôncavo News

    quarta-feira, 20 de setembro de 2017

    SALVADOR: Microempreendedores podem solicitar crédito de até R$ 15 mil

    Ambulantes, marceneiros, vendedores, sapateiros, borracheiros, donos de oficina e de salões de beleza. Esses são apenas alguns dos grupos que, a partir de agora, terão a chance de empreender e aumentar a renda em Salvador. Essa é a proposta do projeto Família Empreendedora, lançado nesta terça-feira (19) pela prefeitura, em parceria com o Banco do Nordeste do Brasil S. A. O programa pode beneficiar até 340 mil famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal (CadÚnico) em Salvador, com o acesso ao Crediamigo, uma linha de microcrédito da instituição financeira. Ao todo, serão disponibilizados cerca de R$ 50 milhões em crédito para os soteropolitanos, de acordo com o prefeito ACM Neto. “Estamos dando o primeiro passo aqui. A ideia é fazer com que o pequeno e o microempreendedor possas ter acesso a um recurso fácil, barato e que vai permitir que ele gire sua atividade econômica e que tenha, sobretudo, uma alternativa de emprego nesse grande momento de crise”, afirmou Neto, durante a inauguração do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) de Valéria. O projeto, inclusive, já começou a funcionar no Cras de Valéria, assim como nas unidades de Plataforma, Paripe e Cajazeiras. O objetivo, de acordo com a prefeitura, é esclarecer aos empreendedores informais quais são as formas de acesso ao crédito e, assim, incentivar o empreendedorismo. “O banco do Nordeste é um grande investidor para essas famílias que querem ter a garantia de empreender a partir de uma ideia que tiveram ou que terão, a partir de um investimento sério. São principalmente mulheres chefes de família que buscam uma assistência emancipatória”, afirmou a secretária Tia Eron, titular da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps). O valor mínimo oferecido de empréstimo é de R$ 100 e vai até R$ 6 mil. No entanto, com a renovação do empréstimo, o teto pode chegar a R$ 15 mil, dependendo do produto, da capacidade de pagamento e da estrutura do negócio, de acordo com o Banco do Nordeste. A depender do tipo de transação contratada, os juros oscilam entre 1,2% ao mês e 2% ao mês – fora a Taxa de Abertura de Crédito de 3% sobre o valor liberado. Os prazos para pagamento vão de quatro a 24 meses. O valor médio que tem sido concedido por empreendedor em Salvador, até então, é de R$ 1,6 mil. O Banco do Nordeste exige um aval solidário – ou seja, a formação de grupos para avalizar a cessão de crédito, com cada empreendedor sendo responsável por garantir o aval do outro. Para completar, a pessoa não pode ter restrição de crédito e é preciso atuar na área por pelo menos seis meses, mesmo que informalmente. Com informações do Correio 24hs.