• Plantão Recôncavo News

    sexta-feira, 8 de setembro de 2017

    Homem mata vizinho após discussão no WhatsApp; ouça o áudio

    No final da tarde desta última quinta-feira (07), uma briga entre vizinhos acabou em morte, em um condomínio que fica no município de Samambaia, no Distrito Federal. O suspeito de ter cometido o crime teria acusado a vítima em uma discussão por mensagens de WhatsApp. A polícia agora tenta entender em detalhes o que aconteceu no início da noite de ontem. O delegado da Polícia Civil que agora conduz o caso, disse que o suspeito identificado como José Arimatéia Costa, teria acusado o vizinho Adilson Silva, de 36 anos, de ter cuspido em sua janela. As acusações foram colocadas no grupo de mensagens do condomínio onde moravam, e Adilson não aceitou. A vítima teria revidado escrevendo impropérios contra o acusado, que acabou partindo para as últimas conseqüências. José Arimatéia atirou duas vezes contra a vítima e acertou um dos disparos contra o tórax de Adilson que morreu ainda no local. A briga entre os dois começou por volta das 19h, e teve início através de mensagens de celular. Através das mensagens, a polícia conseguiu ter acesso ao que aconteceu para que a morte acontecesse. O suspeito teria mandado uma foto no grupo que mostrava uma mancha branca, que parecia um cuspe em sua janela. Na legenda da imagem ele escreveu ao morador do 1803-A, a vítima, que parece de escovar os dentes na janela e ‘cuspir meleca’ na casa dos outros.

    Assim que recebeu a mensagem Adilson respondeu com raiva dizendo que a acusação era absurda e que o agressor queria apenas partir para briga. Os dois continuaram trocando inúmeras ofensas ao longo da noite. Os investigadores tiveram acesso a diversos áudios onde os envolvidos se ameaçam mutuamente, e um diz ao outro que o problema tinha que ser resolvido ‘pessoalmente’. Em uma das mensagens Adilson escreveu: ‘meu amigo, ta maluco, ta falando merda. Primeiro confere antes de falar. Me respeite, porque eu tenho educação e não escovo dente em varanda’.
    Adilson deixa uma filha pequena.
    De acordo com as testemunhas que também participavam do grupo de mensagens dos moradores dos edifícios, assim que a discussão teve fim através do celular, foi possível ouvir os disparos. Poucos minutos depois que os dois parar de brigar via mensagem foi possível ouvir dois disparos vindos do apartamento da vítima. Ainda no grupo, logo depois que os disparos foram ouvidos, uma das moradoras escreveu que havia acionado a polícia militar, e que o crime havia sido violento. O crime foi registrado 26ª DP de Samamvaia, e agora os agentes investigam o caso. De acordo com o que foi apurado até o momento, os dois moradores chegaram a se agredir fisicamente antes que os disparos acontecessem. O suspeito deverá responder pelo crime de homicídio qualificado por motivo fútil, e pode pegar até 30 anos de detenção. Logo abaixo clique em ouvir no navegador e escute os áudios:

    As informações são do Portal Metropoles.