Plantão Policial

Diretora do IFBA de Santo Antônio de Jesus é vítima de racismo na web

Na última semana, circulou pelos grupos de WhatsApp, uma montagem com a foto de duas torcedoras negras do Esporte Clube Bahia e outra com cinco torcedoras brancas do Grêmio, com a legenda “Ainda tem gente que acha que time é tudo igual”. O crime foi denunciado pela vítima, Edna Matos, 53 anos, torcedora do Bahia e diretora do Instituto Federal da Bahia (IFBA) de Santo Antônio de Jesus que está ao lado da filha nas arquibancadas da Fonte Nova. Em contato com o radialista Léo Valente, a diretora relatou que soube dessa montagem por meio de um amigo que enviou a foto para ela no sábado.
“Eu fiquei um tempo sem entender, depois ele mandou o original. A gente tem aquela mistura de sentimento que é comum para quem já sofreu esse tipo de discriminação, raiva, frustração, um monte de coisa junto. Culminei isso o sábado inteiro e preparei um texto porque me sentir na obrigação de responder aquilo, não só pela minha militância, mas pela educação que dou para meus filhos, pessoas que admiram, alunos que nós temos, pessoas que me seguem e estavam aguardando um posicionamento meu. Minha filha recebeu na sexta e não quis me mostrar para não estragar minhas férias”, disse.
A filha de Edna, Dandara Matos, de 27 anos, atualmente realiza mestrado em estudos africanos em Lisboa e também já foi vítima de preconceito na capital portuguesa. “Vi uma oportunidade para que a gente possa escancarar essa coisa do racismo, aquela postagem não se resume a questão estética, ali está imbuindo um valor de xenofobia, racismo e machismo. Eu não me calaria jamais, eu confronto, sempre confrontei. Vamos judicializar o caso, a gente não pode deixar isso passar. O combate ao racismo passa por duas vertentes em minha opinião: uma que é a educação e outra que é a justiça; o que houve não foi piada, foi crime e vai ser tratado dessa forma”, frisou. As informações são do Bocão News/Blog do Valente.