• Plantão Recôncavo News

    quarta-feira, 26 de julho de 2017

    Empresas são interditadas após vender óleo de soja como se fossem azeite de oliva

    A Secretaria Estadual de Saúde (SES) interditou, na manhã desta terça-feira (25), ao menos cinco empresas por venda de óleo de soja ou óleo misto como se fossem azeite de oliva virgem ou extra virgem. A Vigilância Sanitária é a responsável por retirar dos supermercados da capital os produtos irregulares. De acordo com a pasta, amostras dos produtos foram analisadas pelo Instituto Adolfo Lutz, que comprovou que os azeites eram óleo de soja.

    As fábricas Olivenza indústria de alimentos, de Mongaguá, Natural Óleos Vegetais e Alimentos, de Cajamar, e Olima, de Itaquaquecetuba, foram interditadas, mas segundo a secretaria, se adequaram às normas de fabricação de alimentos e podem voltar a produzir. No entanto, os lotes dos produtos fabricados por elas antes da adequação continuam recolhidos. As três empresas se comprometeram a usar “óleo composto” nos rótulos e não mais “azeite”.

    Em caso de descumprimento, as empresas poderão ser multadas em até R$ 250 mil. O Pão de Açúcar, que distribui a marca de azeite Ondoliva, disse que já retirou o produto das gôndolas. Também foram interditadas fábricas em Santana do Parnaíba e Guarulhos. Outros nove estabelecimentos produtores de azeite no estado de São Paulo ainda serão vistoriados pela vigilância. Fonte: G1.