• Plantão Recôncavo News

    sábado, 25 de março de 2017

    Em escuta, diretor da BRF fala de bactéria, propina e exportação vetada, ouça

    Interceptações telefônicas feitas pela Polícia Federal na Operação Carne Fraca, mostram que um dos diretores presos da BRF, gigante nacional do ramo alvo da investigação, estava preocupado com a contaminação por bactéria salmonella na unidade de Mineiros (GO). Segundo as interceptações feitas com autorização da Justiça, André Luis Baldissera comenta com outro funcionário da companhia que a contaminação teria potencial para suspender as exportações da fábrica para sempre.
    Baldissera é um dos 25 presos preventivamente na operação da PF. Outras 11 pessoas foram presas temporariamente, das quais oito já deixaram a prisão. No diálogo, é dito que o fiscal responsável pela autuação vai "matar no peito" a notificação e não vai avisar Brasília, para que a empresa resolva os problemas até uma nova inspeção algumas semanas depois. Teria ficado combinado que a certificação seria suspensa, mas, como a fábrica não produziria nada no período em questão, não haveria problema. A BRF nega irregularidades.
    Em outro trecho, é dito que o fiscal em questão teria pedido contribuição para campanhas eleitorais do PDT na região. Logo após a operação, o PDT divulgou nota onde diz que nunca teve indicação de cargo no Ministério da Agricultura (ouça os diálogos abaixo). Nesta conversa grampeada em maio de 2016 entre Baldissera, diretor da BRF, e o funcionário Roney Nogueira dos Santos a detecção de contaminação por salmonela em Mineiros (GO). O diálogo revela que o responsável pela fiscalização do Ministério da Agricultura no local, Dinis Lourenço da Silva, vai "matar no peito" a notificação da suspensão da planta e não vai avisar Brasília.
    Assim a BRF ganharia tempo para reslver a situação. A suspensão valeria por algumas semanas, prazo que a fábrica não produziria nada, e depois seria feita uma nova inspeção. Eles conversam sobre o suposto pedido de propina do fiscal. Santos e Silva também estão presos. Em outra gravação também usada como prova para pedir sua prisão, o diretor discute com um colega estratégias para evitar que uma carga de três contêineres de produtos que está em alto mar chegue à Itália, onde quatro contêineres haviam sido barrados recentemente por causa da contaminação dos produtos pela bactéria salmonella. Ouça os áudios:
    Confira abaixo a conversa sobre a contaminação em Mineiros (GO) e o pedido de propina:
    Confira abaixo trechos das interceptações sobre a carga enviada à Itália:
    Fonte: Uol.