• Plantão Recôncavo News

    segunda-feira, 13 de março de 2017

    Ativista gay é sequestrado, agredido e estuprado por dois dias

    Foto: Facebook / Reprodução.
    Dois suspeitos de sequestrar, agredir e estuprar um ativista gay por dois dias, na cidade de Marselha, na França, foram indiciados pelos crimes. O argelino Zak Ostmane, de 35 anos, que saiu de sua terra natal há três dias justamente para fugir de ataques homofóbicos, sofreu diversos ferimentos pelo corpo durante o ataque. A vítima é um dos fundadores da ONG "Shams - France", que atua em defesa da população LGBT refugiada em território francês.
    Por nota, a organização classificou o ocorrido com um ato "bárbaro". Segundo Ostmane, no último dia 3, ele estava em uma bar consumindo bebidas alcoólicas na companhia de amigos, quando começou a se sentir mal. Ele contou que, então, foi levado pelos suspeitos até um hotel da região, onde ele foi mantido refém por dois dias. Durante o cativeiro, o ativista relatou que foi agredido, roubado e estuprado pelos homens. Ostmane conta que, pela janela do hotel, ele consegiu gritar por ajuda. Policiais que estavam em uma viatura ouviram os pedidos de socorro e correram para resgatá-lo.
    Os suspeitos acabaram presos. Na última quinta-feira, por meio de uma publicação em uma rede social, a ONG "Shams - France" se manifestou sobre o caso, que classificou como "ato bárbaro e abjeto". Uma investigação criminal foi aberta para apurar o caso. Os suspeitos, que seriam dois ex-militares, foram acusados pelo crimes de estupro, sequestro, roubo, violência e extorsão. Ambos estão em prisão preventiva. As identidades deles não foram divulgadas. Ostmane, que chegou a ser hospitalizado, se recupera dos ferimentos. As informações são do jornal francês "Liberation". Fonte: O Globo.