• Plantão Recôncavo News

    domingo, 12 de fevereiro de 2017

    Mulher com 495kg é tirada da cama com guindaste e levada por avião cargueiro para cirurgia

    Eman Ahmed Abd El Aty, conhecida como a mulher mais obesa do mundo, foi retirada de sua casa, no Egito, com a ajuda de um guindaste, e chegou à Índia num avião cargueiro para uma cirurgia de redução de estômago. A egípcia, que também sofre de Elefantíase, precisou ser retirada por uma equipe de sua casa, que teve as paredes quebradas, e deve passar pelo procedimento na próxima semana. As informações são do portal "Daily Mail". Aos 36 anos, Eman Ahmed ficou 25 anos sem sair de casa devido ao sobrepeso. Nesta semana, ela vai passar por uma operação no Hospital Saifee, em Mumbai, no Oeste da Índia. Após um vôo de sete horas, ela foi colocada em uma mini caminhão no Aeroporto Internacional Chhatrapati Shivaji, e transportada para o hospital, onde passará por uma série de procedimentos.
    "A equipe de médicos esteve no Egito nos últimos 10 dias para otimizar as condições de sua viagem. Por ela estar com tanto sobrepeso, não pôde se mover nos últimos 25 anos e está em alto risco de uma embolia pulmonar", disse um porta-vioz do hospital. Durante o voo, Eman foi cuidada para que os riscos de embolia fossem minimizados. Eman nasceu pesando 5kg e logo foi diagnosticada com uma doença parasitária. Quando ela completou 11 anos, era pesada demais e não conseguia se sustentar. A partir desta idade, a egípcia só conseguia se movimentar rastejando de joelhos. Na mesma época, ela abandonou a escola primária e sofreu um derrame cerebral, o que a deixou acamada e exacerbou suas condições, fazendo com que ela permanecesse no quarto.
    Antes de seu voo para a Índia, neste fim de semana, uma cama especial foi criada para ela de acordo com os requisitos necessários de segurança. Equipamentos especiais foram instalados no avião de carga: ventilador portátil, desfibrilador portátil, cilindro de oxigênio, laringoscópio de intubação e medicamentos. A pedido da família de Eman, o presidente egípcio Abdel Fattah el-Sisi ofereceu os cuidados gratuitamente. Inicialmente, a solicitação havia sido negada, mas tece apoio do mnistro das Relações Exteriores da Índia Sushma Swaraj. A cirurgia bariátrica é cada vez mais comum na Índia, que tem um problema crescente com a obesidade, especialmente em áreas urbanas. Fonte: Jornal Extra.