quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Recôncavo News

Esteticista baiana de 37 anos morre após passar por lipoaspiração

Uma esteticista baiana, de 37 anos, morreu na noite desta terça-feira (10), após passar por uma lipoaspiração em um hospital particular de Petrolina. Uilma Fontes da Silva estava com o procedimento estético marcado para às 16h. A morte foi confirmada às 19h. Ela era casada e deixa três filhos de 19, 16 e 14 anos. 

Após a morte, a família da esteticista esteve na 1ª Delegacia de Polícia Civil, no bairro Ouro Preto, e solicitou ao delegado Marceone Ferreira que o corpo fosse encaminhado para o Instituto de Medicina Legal (IML) para atestar a causa da morte. Segundo o médico legista Laurentino Aguiar, responsável pela necropsia, a possibilidade de perfuração de órgão foi descartada. 

“Ao que tudo indica ela teve uma embolia gordurosa, que causa insuficiência respiratória”, disse o médico. O laudo final só será divulgado após o resultado de exames realizados nesta quarta-feira (11). De acordo com a família, esse não era o primeiro procedimento realizado pela esteticista. Há sete meses, ela passou por uma cirurgia para colocar próteses de silicone e fez uma abdominoplastia.
O marido, Ordivan da Silva, estava em choque com a notícia e disse que soube da morte depois que tentou falar com a esposa por telefone e não conseguiu. “Ela veio sozinha porque disseram que não precisava de acompanhante. A noite eu tentei ligar para o celular dela e não consegui. É uma dor que não tem como explicar. A ficha ainda não caiu”, contou abalado. 

A irmã de Uilma, Sueli Fontes, falou ao G1 que a irmã comentava sobre o desejo de fazer o procedimento cirúrgico e dizia que não havia motivos para se preocupar. “Ela falava que não precisava de acompanhante, que era algo simples e que seria liberada no mesmo dia, assim que terminasse poderia ir para casa. Ficamos tranquilos até porque ela já tinha feito uma outra cirurgia e nessa sim ela tinha sido orientada a ter acompanhante e fazer exames cardiológicos. 

Então a gente achou que o fato desse não precisar, seria algo muito simples”, comentou. Diante da dor de perder a irmã, Sueli tenta entender o que aconteceu. “A gente está sem chão até agora. Era uma pessoa com boa saúde, otimista, com o objetivo de realçar a beleza. E ai você recebe a notícia de que a pessoa morreu em um procedimento que foi informado que era tão simples. A gente quer entender o que houve, diante de tanta simplicidade, que chegou a causa a morte de uma pessoa de tão pouca idade e de boa saúde”, desabafou Sueli.
A médica responsável pela lipoaspiração disse que a cirgurgia de Uilma foi feita com anestesia local, durou cerca de 40 minutos e foi bem sucedida. Ela relatou que após o término a paciente estava falando e não se queixou de sintomas como tonturas, dor, ou qualquer outra intercorrência. 

Segundo a médica, 15 minutos após o procedimento, ainda no bloco cirúrgico, Uilma teve uma parada cardíaca e apesar dos esforços, a equipe não conseguiu reanimar a paciente. A médica afirmou que antes da cirurgia a esteticista realizou todos os exames médicos exigidos e que não foi detectado nenhum tipo de problema cardíaco ou qualquer outro fator que impedisse o procedimento. 

A profissional garantiu que fez contato com o IML e que está acompanhando o caso. A Polícia Civil instaurou inquérito para apurar o que ocorreu. “Tomamos conhecimento dessa morte a esclarecer em um hospital e que essa pessoa estava fazendo um procedimento estético. 

A ocorrência foi resgistrada, vamos ouvir o médico responsável pela cirurgia, os responsáveis no hospital, para saber em que condições foi realizado esse procedimento para saber se todas as condutas estão dentro da normalidade", explicou o delegado responsável Daniel Moreira. Fonte: G1.