sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Recôncavo News

Menina fica com rosto deformado por vírus da herpes após beijo de parente

Sienna Duffield, de apenas três anos de idade, passou por sérias complicações desde que foi diagnosticada com o vírus da herpes, no começo do ano. A pequena foi beijada por um parente que estava com afta, em outubro de 2015, e ficou com o rosto deformado. As informações são do jornal britânico The Mirror. Para cuidar dos ferimentos da filha, Savina French-Bell, de 21 anos, teve que lavar a roupa de cama de Sienna diariamente, além de ter que se desfazer de roupas da menina devido à quantidade de sangue e pus que as feridas provocavam e acabam manchando os tecidos. A criança chegou a ser internada por causa da doença e precisou ser tratada com soro porque não comia mais.
Sienna Duffield, de apenas três anos de idade, passou por sérias complicações desde que foi diagnosticada com o vírus da herpes, no começo do ano. A pequena foi beijada por um parente que estava com afta, em outubro de 2015, e ficou com o rosto deformado. As informações são do jornal britânico The Mirror. Para cuidar dos ferimentos da filha, Savina French-Bell, de 21 anos, teve que lavar a roupa de cama de Sienna diariamente, além de ter que se desfazer de roupas da menina devido à quantidade de sangue e pus que as feridas provocavam e acabam manchando os tecidos. A criança chegou a ser internada por causa da doença e precisou ser tratada com soro porque não comia mais.
“Sienna estava sendo comida viva por causa da infecção cutânea, que apareceu do nada durante o segundo aniversário, aí começou a desenvolver pequenas úlceras em sua boca. Parecia que alguém tinha jogado ácido em seu rosto, espalhando até suas bochechas e seus olhos“, contou Savina, que decidiu compartilhar sua história para conscientizar outros pais. “Eu percebi que ela tinha beijado um parente no ano passado, e ele foi o responsável pela infecção. Ela parou de comer e todos os dias pelos próximos oito meses foram péssimos. As pessoas nos olhavam de maneiras horríveis, crianças encaravam e adultos faziam comentários. Por oito meses, nenhum antibiótico funcionou e a infecção continuou retornando. Nós usamos todos os cremes que existiam no mundo, mas a doença continuava desaparecendo e, na sequência, retornando. Era muito cansativo“, relembra a mãe. Fonte: Jornal Extra.