sábado, 19 de novembro de 2016

Recôncavo News

Médicos de hospital na Bahia são acusados de retirar rim errado de menina de 7 anos

Familiares de uma criança de sete anos moradora de Luís Eduardo Magalhães acusam médicos de terem retirado o rim errado da menina. Em junho de 2015 a família descobriu que a garota estava com cálculo renal e em outubro deste ano ela foi operada no Hospital do Oeste, em Barreiras. A ‘pedra no rim’ era no órgão do lado esquerdo, mas os médicos fizeram a operação do lado direito. A família acusa os médicos de terem retirado o rim da menina sem a autorização dos responsáveis legais pela menor, e ainda por não terem mostrado o órgão retirado e o laudo médico.
Segundo os familiares, a única justificativa que foi dada a eles pelos profissionais de saúde, foi que o rim direito foi retirado porque no momento da cirurgia houve sangramento. De acordo com a família após a operação Clara piorou, tendo que ser transferida para o Hospital Estadual da Criança, em Feira de Santana. Segundo o G1, sem respostas a família procurou o Conselho Tutelar de Luís Eduardo Magalhães, que encaminhou o fato ao Ministério Público. O MP solicitou ao Hospital o laudo da cirurgia e espera que o documento seja enviado até a próxima semana. A família contou ainda, que a menina segue internada em Feira de Santana, em estado estável, mas precisa com urgência de uma cirurgia para a retirada das ‘pedras no rim’ esquerdo.
A menina sofre com dores e a família aguarda a vaga para que a transferência para Salvador seja realizada. O Hospital do Oeste se pronunciou afirmando que o problema de Clara afetava os dois rins, e que o órgão direito precisou ser retirado por complicações que poderiam ter levado a menina a morte durante a operação. A unidade de saúde negou em nota que a família não teve acesso aos laudos e informou que está passando as informações que foram pedidas pelo Ministério Público. Fonte: Bahia Notícias.