sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Recôncavo News

Família perde tudo em incêndio no Rio e doações na web já chegam a R$ 50 mil

A vida de uma família carioca mudou de maneira trágica no último domingo, mas desencadeou uma enorme onda de solidariedade. A fonoaudióloga Carolina Cunha, de 33 anos, e o marido Carlos Bismark, de 50 anos, saíram para visitar amigos por volta das 18h30m quando o apartamento deles na Tijuca, na Zona Norte da cidade, pegou fogo. Agora, os dois e os filhos Alessandro, de 7 anos, e Milena, de 1 ano e 7 meses, estão abrigados na casa de parentes e contando com a solidariedade para recomeçar.
Por volta das 19h de domingo, os vizinhos avisaram do incêndio no prédio e Carlos voltou para casa correndo. Foi então que Carolina começou a receber fotos de amigos que moram no bairro e percebeu que era o apartamento dela que estava sendo destruído pelas chamas. Mas, em vez de se revoltar, ela agradeceu por ninguém estar em casa naquele momento e ninguém ficar ferido no incêndio que destruiu o imóvel. Fui no carro agradecendo a Deus que não tinha ninguém em casa e por não ter acontecido nada mais grave. É um misto de sentimentos e tentei me manter tranquila. Nunca fui uma pessoa apegada e, por isso, acho que fiquei mais tranquila. Mas perdi as fotos dos meus filhos e essa memória me doeu, contou Carolina.
Rapidamente, amigos começaram a se mobilizar para ajudá-los com doações, porque eles só tinham as roupas do corpo. E a solidariedade ganhou proporções cada vez maiores. Uma prima de Carolina criou uma campanha num site de arrecadação para ajudá-los e, desde segunda-feira, mais de 270 pessoas doaram mais de R$ 50 mil. Meus amigos eu sabia que iam me ajudar, o que eu não sabia era a proporção que iria tomar. As pessoas que não me conhecem estão ajudando. Os meus vizinhos são sensacionais e estão fazendo revezamento para receber ligações de pessoas que querem ajudar. Muito mais gente ajudou com doações e não só com dinheiro pelo site, explica Carolina.
Os filhos ainda estão assustados com a mudança. O mais velho ainda chora sempre que lembra de um brinquedo perdido do incêndio. Mas, do incidente, Carolina guarda apenas a gratidão e a lição de que ainda há muitas pessoas boas dispostas a ajudar ao próximo: seja com R$ 10 ou mil reais. Minha eterna gratidão a todo mundo. Essa é uma corrente do bem maravilhosa e só tenho a agradecer quem ajudou emocionalmente, com oração, ou com doação. E agradecer a Deus por estar todo mundo bem, declarou.
Como o prédio é novo, o apartamento da família ainda está na garantia. Eles também tinham um seguro do imóvel, mas o valor é baixo. Com o dinheiro arrecadado nas doações, cuja meta é chegar a R$ 100 mil, eles vão alugar um apartamento para morar enquanto reconstroem o da Rua Ângelo Agostini. O laudo sobre as causas do incêndio demora 10 dias para ficar pronto. Desde o incidente, um áudio que circula no WhatsApp traz uma mulher afirmando que um carregador de celular teria causado o fogo no apartamento de Carolina. Contudo, essas informações não são verídicas. Fonte: Jornal Extra.