terça-feira, 22 de novembro de 2016

Recôncavo News

Empresário tem rosto reconstituído depois de câncer bucal

O empresário Pedro Benedito Filho, de 49 anos, passou por uma cirurgia de reconstrução de face há 90 dias e já comemora o resultado do procedimento, realizado no dia 21 de agosto deste ano. O procedimento durou 9 horas e foi feito em um hospital particular da capital. Para reconstituir o céu da boca, foi necessário retirar parte de um osso da perna do paciente, com músculo e vasos para ligar às artérias e veias faciais. Um enxerto também foi feito para a reconstituição da maxila. Após o processo cirúrgico, o paciente ficou seis dias em coma e 12 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).
"Não foi fácil fazer um implante de osso vascularizado. Veio um ortopedista que retirou o osso, outro cirurgião que ligou as veias e o cirurgião bucomaxilofacial, de Cuiabá, que parafusou o osso no rosto. Foi bem difícil, mas graças a Deus deu tudo certo. É vida nova”, disse. Pedro, que voltou a trabalhar 60 dias após o procedimento, conta que está aguardando a cicatrização completa para fazer o implante dos dentes. "Uso uma prótese fixa. Ela é bem real, amarrada com arame de aço", explica. Ele descobriu o câncer bucal em 2008. No mesmo ano, ele passou por uma cirurgia. Seis meses depois, durante um exame de rotina, descobriu a reincidência da doença. O empresário buscou tratamento em São Paulo em maio de 2009 e foi constatada a necessidade de uma segunda cirurgia. Durante a operação, foram retirados completamente o palato duro e a arcada dentária.
“No momento foi uma decisão tranquila. Não imaginava que o estrago seria tão grande, mas o importante naquele momento era a cura”, disse. Após a retirada, Pedro passou a utilizar uma prótese para auxílio de funções básicas, como comer e beber. “Colocaram uma prótese que por muito tempo serviu. Dava para comer bem, mas algumas coisas com limitação. O maior problema era a respiração, já que o nariz ficava colado no rosto”, explica. Pedro conta que a estética também o incomodava. “A minha aparência mudou muito, tanto que quase não me deixaram entrar no avião por causa da foto da carteira de identidade. Precisei fazer outra depois”, contou.Mesmo com as dificuldades, ele tentava levar uma vida normal. “Acho que temos que encarar com alegria tudo que vem para a gente”, disse. A cirurgia de reconstrução facial foi realizada cinco anos depois de ele ter recebido o diagnóstico da cura. Fonte: G1.