terça-feira, 8 de novembro de 2016

Recôncavo News

Criança que nasceu com cérebro para fora do crânio completa 4 anos, desafiando as expectativas de vida

Isabella Grote, de Minot, Dakota do Norte, EUA, de apenas quatro anos, nasceu com um defeito no tubou neural chamado de encefalocele. Assim, seu cérebro acabou crescendo externamente através de um “saco” localizado na parte de trás da cabeça. Em um exame realizado na 20ª semana de gestação os pais foram avisados que a chance de sobrevivência era de 25%. Contudo, com apenas três dias de vida, Isabella passou por uma cirurgia, que consistiu em remover o crescimento e colocar o órgão dentro crânio. Hoje, com quatro anos de idade, ela desafiou todas as probabilidades dos médicos ao sobreviver, sendo capaz de andar e falar, conforme relatado pelo Mail Online.

O prognóstico devastador deixou os pais, Sharlotte, 40 anos e Jim, 49, preparados para o pior. “O aborto nunca foi uma opção, mesmo que eu pudesse passar apenas alguns minutos com a minha menina eu ficaria feliz. Então, eu liguei para uma funerária para descobrir nossas opções”, disse o pai. O casal foi encaminhado a um hospital especializado em Minnesota, a cirurgia foi realizada de forma bem-sucedida e em um tempo menor do que o esperado. Segundo os médicos, havia menos material cerebral no crescimento do que se pensava anteriormente, o que foi considerado pelos pais como “um alívio”. “Felizmente, correu tudo bem com a cirurgia e fomos informados que Isabella não tinha outras anormalidades óbvias”.

Apesar de não saber se a filha teria dificuldades de aprendizagem no futuro, os pais estavam gratos pelo fato dela estar viva. Eventualmente, a menina começou a fazer um enorme progresso, e mais cedo do que o esperado. “Ela acabou de comemorar seu quarto aniversário e atingiu todas as suas metas, incluindo andar e falar e ela adora ir à escola”, disse o pai. A encefalocele é um raro defeito que ocorre no tubo neural e prejudica o cérebro, afetando cerca de um a cada 10.000 nascimentos. Trata-se de uma saliência em forma de um saco que retém parte do cérebro e as membranas que o revestem, nascendo de forma externa a partir de uma abertura no crânio.

Esse defeito acontece quando o tubo neural – um canal estreito que se dobra e fecha durante a terceira ou quarta semana de gestação para formar o cérebro e a medula espinhal – não se fecha adequadamente. Os bebês com essa condição também podem desenvolver um acúmulo de liquido no cérebro (hidrocefalia), perda de forças nos braços e pernas, problemas de coordenação, atraso de desenvolvimento e problemas de visão, segundo o Centre for Disease Control and Prevention. Fonte/Foto: Daily Mail.