sábado, 12 de novembro de 2016

Recôncavo News

Com BMW blindada, homem salva 70 pessoas de ataque do Estado islâmico no Iraque

Um homem usou uma BMW blindada e conseguiu salvar a vida de 70 pessoas durante ataque do grupo extremista Estado Islâmico (IE) perto da cidade de Kirkuk, no Iraque. "Eu disse para mim mesmo: esta é a hora certa de eu ajudar as pessoas. Eu sou um combatente e tenho um carro blindado. Seria uma vergonha se eu não ajudasse", contou Ako Abdulrahman, de 32 anos, em entrevista à emissora de televisão norte-americana CNN. O ataque aconteceu no dia 21 de outubro, quando 64 pessoas morreram e 86 militantes do IE foram mortos. Mais de cem ficaram feridos.
Abdulrahman é um combatente curdo e vive com sua esposa e quarto filhos em uma cidade cerca de 23 km ao sul de Kirkuk. Ele comprou em um leilão a BMW dos anos 1990 por US$ 10 mil. Para conseguir salvar todas essas pessoas, ele as levava para um lugar seguro e voltava várias vezes para pegar outros feridos. Além disso, Abdulrahman também tirou corpos do local do ataque. "Meu carro tomou mais de 50 balas, havia marcas por toda a parte", disse.
"O IE continuou atirando, esperando que as balas atravessassem o carro e matassem eu e os feridos que estavam dentro do veículo". "No meu carro, eu carreguei sunitas, xiitas, curdos, turcomanos e cristãos. Eu me senti verdadeiramente iraquiano e é o que todos deveriam ser", relatou ele à emissora. Pela boa ação, ele recebeu pessoalmente os cumprimentos do governador da província de Kirkuk e uma recompensa de cerca de US$ 385. Abdulrahman disse que não percebeu que o governador tinha colocado o dinheiro dentro de um envelope quando deixou o escritório do chefe político.
"Fiquei feliz com o certificado de agradecimento do governador, mas achei insultante me dar dinheiro por algo que todo iraquiano deveria fazer", afirmou. Ele também contou que negou uma oferta da BMW para trocar o carro blindado cheio de balas por um veículo novo da marca. Isso porque a empresa queria expor em sua sede o carro baleado. Em vez disso, ele preferiu consertar e continuar com o seu carro. "Eu não sou um herói, sou apenas um iraquiano comum que quer salvar seu país de criminosos e assassinos", disse à CNN. Fonte: Uol.