quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Recôncavo News

Santa Casa de Valença corre risco de suspender serviços essenciais


O provedor e o diretor médico da Santa Casa de Misericórdia de Valença, Marcelo Dantas Cabral e Ricardo Fonseca, respectivamente, estiveram, nessa quarta-feira (10), no Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), na Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (SESAB) e na Superintendência de Atenção Integral à Saúde (SAIS) para dar entrada em ofício que informa às referidas entidades que, caso não seja possível reajustar os valores dos contratos com a Santa Casa, a unidade corre o sério risco de ser obrigada a suspender serviços essenciais à população a partir do dia 12 de setembro. São eles: cirurgias eletivas e obstetrícia de média complexidade.

Mensalmente, a Santa Casa tem recebido R$ 1,8 milhão frente a um custo superior a R$ 2 milhões. Dessa forma, a unidade hospitalar fecha no vermelho com um déficit de mais de R$ 200 mil/mês. O documento deixa evidente a grave dificuldade financeira da instituição filantrópica, que é referência na assistência à saúde de média e alta complexidade, realizando mais de 20 mil atendimentos mensais e sendo a única emergência em funcionamento no Baixo Sul e região. Na próxima terça-feira (16), os dirigentes da Santa Casa têm uma nova reunião agendada com a SESAB na tentativa de solucionar os problemas acarretados pela crise e pelo subfinanciamento do Sistema Único de Saúde (SUS). O pleito é para que seja firmado um aditivo para a manutenção do equilíbrio financeiro da instituição. Um pedido de reequilíbrio dos contratos já havia sido feito no mês de março. Cerca de 300 mil habitantes e de 500 funcionários poderão sofrer as conseqüências da possível suspensão de serviços, o que a instituição tenta evitar.

No próximo dia 19, a Santa Casa de Valença irá promover uma grande mobilização que promete chamar a atenção das autoridades para a crise financeira enfrentada pela instituição. Incentivada pelo apoio que vem recebendo de seus colaboradores e da população em geral e com uma dívida que já ultrapassa os R$ 7 milhões, a Santa Casa conclama a sociedade a participar do ato. A crise e o subfinanciamento do SUS são responsáveis pelo crescente endividamento da instituição. A unidade corre o risco de suspender serviços essenciais à população se nada for feito para mudar o atual cenário vivenciado também por outros hospitais filantrópicos baianos. Algumas dessas instituições, entre elas a Santa Casa de Valença, se uniram através da campanha “SOS Saúde da Bahia”, que já reúne 14 entidades. A mobilização terá sua concentração às 10h30, em frente à Santa Casa. Ascom Santa Casa.