segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Recôncavo News

Gaúchos organizam “plebiscito” para separar a região Sul do resto do Brasil

No mesmo dia em que todo o país irá às urnas para votar nas eleições municipais, moradores dos três estados da região irão decidir se o Sul deve ou não se separar do restante da nação. O movimento, batizado de “O Sul é o meu país”, conta com representantes em 1.191 municípios e tem o objetivo de conquistar a emancipação política e administrativa do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A intenção é criar um novo país independente.
Marcado para 2 de outubro, o plebiscito informal contará com urnas espalhadas a uma distância de pelo menos 100 metros dos colégios eleitorais desses estados. A votação não tem legalidade, mas, de acordo com o promotor gaúcho Rodrigo Zilio, do gabinete eleitoral, é permitida. Para valer, o plebiscito deveria seguir a lei 9.709, o que exigiria aprovação do Congresso Nacional. A informação é do jornal Folha de S. Paulo. Segundo os organizadores, a meta é alcançar o equivalente a 5% dos eleitores do Sul.
A Região Sul tem todos os requisitos necessários para se tornar uma das nações mais prósperas do planeta. O seu potencial humano, social e econômico não deixa qualquer dúvida a respeito de sua viabilidade como país independente. O Sul é a segunda região mais rica do Brasil, depois do Sudeste, representando em 2014 16,2% do PIB brasileiro. Tem grande potencial industrial, e de agricultura com tecnologia, possui um parque fabril fantástico e diversificado, o litoral mais piscoso do Brasil, infraestrutura portuária invejável (7 portos), alto potencial hidroelétrico, potencial eólico extraordinário, entre outros.