segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Recôncavo News

ESCÂNDALO: Ex-bispo denuncia esquema ilegal de dinheiro da igreja Universal no exterior

Um ex-bispo da Igreja Universal do Reino de Deus acusa a entidade de ter mantido um esquema ilegal que operava milhões de dólares no exterior. Alfredo Paulo Filho, de 49 anos, diz ter sido responsável pela Universal em Portugal entre os anos de 2002 e 2009, e um dos principais auxiliares do bispo Edir Macedo, fundador da igreja, por mais de dez anos. Segundo ele, durante o período, o dinheiro teria sido usado para financiar a instituição e a emissora de TV Rede Record na Europa.
Em entrevista para a Folha de S. Paulo, Alfredo afirmou que a cúpula da Universal criou uma rota para fazer remessas ilegais de dinheiro da África para a Europa, pelo menos duas vezes por ano. As quantias eram arrecadadas na campanha chamada de 'Fogueira Santa', em igrejas de Angola. Cerca de cinco milhões de dólares eram enviados por viagem. O ex-bispo relata ter participado do esquema e que os malotes eram levados de carro de Angola para a África do Sul e, de lá, partiam em um jato particular para o país europeu.Em Portugal, o dinheiro era trocado por euros e depositado em uma conta no banco CPC como dízimos da igreja. "A igreja em Portugal sustentava outras igrejas na Europa", diz Paulo Filho. "Eu que ia pegar o dinheiro. Sabia que era ilegal", afirma, garantindo que Macedo tinha ciência de tudo.
Alfredo Paulo Filho passou a postar vídeos denunciando o caso na internet. Durante a entrevista para a Folha, ele afirmou que não tem provas do que está relatando. "Minha prova sou eu. Participei e vi. O bispo Edir Macedo já falou em reunião de pastores que, para a obra de Deus, vale até gol de mão", conta ele. Procurada pela Folha, a Igreja Universal afirmou por meio da assessoria que prepara um processo judicial contra o ex-bispo por calúnia e difamação e que não vai se pronunciar sobre o caso. A Universal foi fundada em 1977, no Rio de Janeiro, por Edir Macedo e atualmente está presente em mais de cem países. Fonte: Correio 24hs.