sexta-feira, 10 de junho de 2016

Recôncavo News

Crise: 80 funcionários serão demitidos pela fábrica da Pirelli de Feira de Santana

Jackson Crispim, presidente do Sindborracha, informou que a empresa Pirelli anunciou a demissão de 80 pessoas e mudanças na fabricação dos pneus. De acordo com ele, a empresa está fechando o setor que fabrica pneus convencionais e está automatizando a produção com a fabricação de pneus radiais sem câmara.

O sindicalista explicou também que a Pirelli realiza uma prática constante de demissões e alterações salariais de funcionários que ocupam a mesma função. “A Pirelli nunca deixou de demitir. Ela tira os funcionários que têm salários mais altos e coloca os funcionários na mesma função, porém com salários mais baixos. Ela já vinha avisando há algum tempo que iria mudar essa fábrica radial, mas a gente nunca esperava que fosse agora. Isto pegou os trabalhadores de surpresa em uma época de negociação, de renovação do acordo coletivo. Na mesa de negociação a empresa anunciou que vai demitir cerca de 80 pessoas que é o pessoal da convencional. É uma das maiores injustiças que está acontecendo em Feira de Santana e nós estamos fazendo um documento para a sociedade para mostrar o que a empresa está fazendo e a gama de pessoas que ficarão desempregadas", enfatizou. Funcionários lesionados

Segundo Jackson Crispim, além das demissões, outro grande empecilho da Pirelli são os funcionários lesionados. Ele disse que existem aproximadamente 40 trabalhadores nessa situação que retornaram à empresa após vencimento do benefício do INSS e estão sem uma definição para qual área de trabalho vão atuar. “O sindicato está sempre em contato com essas pessoas e também com a empresa vendo área para elas trabalharem. Muitos não podem retornar para a mesma área devido às lesões. Existe uma sala de jogos onde essas pessoas ficam e isso está criando muito estresse no local. Psicologicamente as pessoas estão se sentindo humilhadas dentro da fábrica porque até os próprios colegas dizem que são pessoas que não estão querendo nada. Mas, na realidade não é isso. São pessoas que estão lesionadas pela fábrica e estão isoladas, sendo expostas ao ridículo através dos outros colegas. Muitos reclamam dessa situação”, completou.

O presidente do Sindiborracha ressaltou que a Pirelli é a empresa que mais lesiona em Feira de Santana. Ele pontuou também que não serão aceitos posicionamentos inadequados e que estão sendo tomadas todas as providências para que atitudes e decisões não prejudiquem os trabalhadores da fábrica. Fonte: Acorda Cidade.