segunda-feira, 30 de maio de 2016

Recôncavo News

Modelo transexual usa fantasia com a Bíblia em forma de protesto na parada gay

Assim como em 2015 - quando foi o centro das atenções ao interpretar Jesus Cristo na crucificação -, Viviany Beleboni chamou atenção na Parada Gay 2016 neste domingo, 29, em São Paulo. Após receber muitas críticas no ano passado, ela diz que está preparada para reações negativas também neste ano, mas que não se importa e nem se amedronta. "Não tenho medo, não me acovardo. A coragem é o que me move, a vontade de fazer as pessoas refletirem sobre seus preconceitos é maior que qualquer receio", garante ela.

Vestindo um look que faz referências à justiça e com uma reprodução da Bíblia nas mãos, ela conta que pensou na fantasia no ano passado, após sofrer críticas de religiosos. "No ano passado fui muito perseguida e vários religiosos me atacaram pela minha manifestação. Não estou atacando e nem criticando religião alguma. Gosto do espiritismo e do candomblé e sei o quanto as religiões podem fazer o bem. Quem me atacou não quer o bem do outro e é pra eles a minha fantasia, pra mostrar que muitas vezes a justiça e as religiões interferem no bem dos outros. Temos que viver bem e deixar que os outros vivam bem também. Estou mandando recado para os religiosos", dispara ela.

Logo que chegou, a modelo transexual foi muito abordada para tirar fotos com quem estava na manifestação. "É uma delícia receber o reconhecimento das pessoas, a torcida delas, muitos dizendo que eu os represento, que o que faço é importante", falou ela. Convidada do trio militância gay, ela terminou de vestir sua fantasia minutos antes do protesto tomar a Avenida Paulista. Segundo ela, o modelito custou R$ 850 reais e demorou uma semana para ser feito pelo estilista Edson Assnar.

"Tenho orgulho de ser quem eu sou e a Parada é pra isso, pra se ter orgulho, lutar e causar reflexão", acredita ela. A Parada Gay completa 20 anos em 2016 com o tema "Lei de Identidade de Gênero Já". O evento, em prol dos direitos de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros, que já faz parte calendário oficial de eventos da cidade de São Paulo. Segundo os organizadores o evento deve reunir mais de 2 milhões de pessoas. Fonte: EGO.