sexta-feira, 1 de abril de 2016

Recôncavo News

Negligência no Hospital Regional de Santo Antonio de Jesus deixa mãe e filha abaladas

O Portal Tribuna do Recôncavo ouviu nesta última quinta-feira (31) a senhora Rita Maria, moradora do Loteamento Parque São João, Bairro da Maria Preta em Santo Antonio de Jesus na Bahia. A entrevistada desabafa conosco sobre a experiência vivida no atendimento do Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus (HRSAJ) no início do mês passado.
Segundo ela, no dia 08 de março, sua filha Carol Morais, 18 anos de idade, foi para a escola e no caminho ela e seu genro de prenome Willian sofreram um grave acidente de trânsito, a motocicleta que o casal estava colidiu frontalmente com um carro. Sua filha caiu e teve um ferimento terrível. A SAMU chegou e levou ela com suspeita de várias fraturas. Chegando no hospital Regional, nenhum médico olhou sua filha, apenas uma técnica de enfermagem que ajudou. Nenhuma medicação sua filha recebeu e ainda foi humilhada, como se não fosse ninguém, afirmou Rita, salientado que a paciente chegou no HRSAJ por volta das 14hrs e foi liberada às 17h30min sem ser atendida.
De acordo com a senhora Rita Maria, o seu genro de prenome Willian foi atendido por um enfermeiro, mas este não usou de métodos adequados e humanos nos procedimentos. Segundo a denunciante, parecia que o enfermeiro estava lidando com um bicho. Costurava as feridas como se estivesse costurando um animal. Já sua filha Carol, retornou pra casa com fortes dores e na manhã do dia seguinte foi atendida no Posto de Saúde da Maria Preta, muito bem atendida pela equipe do PSF, disse a entrevistada.
Dona Rita Maria deixa um apelo para os médicos e funcionários do Hospital Regional de Santo Antonio de Jesus: “Eu peço que eles tenham mais amor no coração porque Deus está no céu e ele quer que a pessoa aqui na terra tenha amor para cuidar dos pacientes. Se não quer [trabalhar] dar o lugar pra outro. A gente precisa de médicos, gente capacitada no Hospital porque assim não dar. Fonte: Tribuna do Recôncavo.