quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Recôncavo News

Nova impressora 3D é capaz de fazer órgãos do corpo humano em tamanho real

Pela primeira vez, os cientistas usaram uma impressora 3D para produzir peças e tecidos do corpo em tamanho natural, utilizando células vivas como “tinta”. “Esta tecnologia poderia ser usada para imprimir estruturas de tecidos e órgãos vivos para implantação cirúrgica”, disse um dos pesquisadores por trás da pesquisa, Anthony Atala. 

Essas impressoras têm sido usadas ​​para imprimir réplicas em miniatura de órgãos – incluindo cérebro e tecidos renais, nos quais os cientistas realizam pesquisas. Mas até agora ninguém foi capaz de imprimir algo grande, estável, e “vivo” o suficiente para ser usado em um transplante de confiança.

Um dos maiores obstáculos é descobrir como manter essas células vivas através do processo de impressão, e como construir estruturas que incorporam todas as coisas que mantêm nossos órgãos em atividade, como vasos sanguíneos e estruturas vasculares para manter o fluxo de oxigênio. “As células simplesmente não podem sobreviver sem um fornecimento de vasos sanguíneos menores que 200 mícrons (cerca de 0,1 cm)”, disse Atala.

Atala e sua equipe descobriram como superar isso através da combinação de células vivas extraídas de pacientes transplantados com tipos especiais de plásticos e géis, que foram concebidos para imitar tecidos biológicos, músculos e cartilagens. Estes materiais oferecem a capacidade que as impressões 3D precisam.

Os pesquisadores demonstraram a sua tecnologia fazendo ouvidos, ossos e músculos. Eles ainda vão testar os implantes em seres humanos, mas quando foi implantado um ouvido na pele de um camundongo, as orelhas mantiveram a sua forma, o que indica um bom sinal. Fonte: Climatologia Geográfica.